202201240658

Notícias

Aluna de Medicina da Uniara tem estudo sobre filme orodispersível premiado no CIC da universidade

Publicado em: 05/01/2022

A qualidade acadêmica do trabalho desenvolvido pela aluna do décimo semestre do curso de Medicina da Universidade de Araraquara – Uniara, Beatriz Sakakibara de Moraes, rendeu-lhe um prêmio no XVI Congresso de Iniciação Científica – CIC da instituição, realizado no final de 2021. A pesquisa, intitulada “Forma farmacêutica: filme orodispersível”, foi orientada pela professora Eliane Trovatti e coorientada pelo doutorando do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia em Medicina Regenerativa e Química Medicinal - PPGB-MRQM da universidade, Fábio Tamanini. Em 2020, o estudo rendeu a Beatriz uma bolsa do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI/CNPq.

“O filme orodispersível é uma forma farmacêutica, ou seja, é o estado final de apresentação de um medicamento, caracterizado por uma película fina, polimérica e hidrossolúvel, que desintegra e dissolve rapidamente, liberando todo o fármaco na cavidade oral. Tem potencial para superar outras formas de apresentação de medicamentos, uma vez que confere maior adesão e continuidade do tratamento pelo paciente, principalmente aquele que sofre de disfagia, náusea, êmese e transtornos mentais, visto que sua administração não necessita de água e nem requer ser mastigado ou engolido”, explica Beatriz.

Como conclusões do trabalho, ela aponta que o sistema orodispersível produzido no forno micro-ondas apresentou uma boa incorporação e liberação do fármaco, “características que contribuem para a escolha e prescrição dessa forma farmacêutica, e também excelentes características físicas, o que influencia no sucesso da terapia medicamentosa e, consequentemente, diminui o abandono do tratamento”. “Além disso, é uma boa alternativa das formas farmacêuticas tradicionais na parcela populacional que se queixa de disfagia, náusea, sabor amargo dos fármacos e inacessibilidade à água”, destaca.

Essa tecnologia, segundo a estudante, é inovadora e proporciona novas oportunidades de mercado com a otimização do tempo de produção, simplicidade de fabricação e o baixo custo operacional, “o que é viável para as empresas farmacológicas na produção industrial, além de ser personalizada para cada ser humano ou animal de estimação, já que durante a sua fabricação pode ser modificado o polímero, o plastificante, a substância ativa e o excipiente, se necessário”. “E a dose terapêutica e o intervalo posológico podem ser individualizados para a condição de saúde do indivíduo”, completa.

Eliane detalha que o preparo de filmes orodispersíveis para administração de fármacos, desenvolvido no trabalho de sua orientanda durante sua iniciação científica, baseia-se na utilização de um polímero solúvel em água que, no caso, foi o amido de milho, ao qual foi incorporado um fármaco. “O filme dissolve-se completamente quando colocado na boca e é uma forma rápida e prática de se tomar um medicamento. Sendo assim, tem a função de facilitar a administração de fármacos para pacientes com dificuldades ou aversão à deglutição de outras formas farmacêuticas, tornando-se uma opção eficiente para crianças, idosos e pessoas com doença de Parkinson, por exemplo”, ressalta a docente.

Na pesquisa de Beatriz, foi utilizado o diclofenaco como fármaco modelo, de acordo com Eliane, que esclarece, no entanto, que diversos tipos de medicamentos podem ser preparados na forma de filme orodispersível. “Uma das grandes vantagens dessa forma farmacêutica é a aceitabilidade, pela facilidade de levar os pacientes a uma maior adesão ao tratamento e a realizarem o tratamento completo”, reforça a orientadora.

Ela aproveita para mencionar que “é uma satisfação muito grande receber esse prêmio do CIC”. “Gostaria de gradecer à instituição, ao CNPq, a todos os colaboradores e especialmente ao doutorando Fábio Tamanini, por todo apoio no desenvolvimento desse projeto”, finaliza.

Informações sobre o curso de Medicina da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br ou pelo telefone 0800 55 65 88.

Últimas notícias:

Busca

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI