mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Notícias

Docente de Pedagogia da Uniara dá dicas de atividades para pais desenvolverem com crianças em casa

Publicado em: 01/04/2020

A quarentena pegou todos de surpresa, fez com que as crianças fossem dispensadas das escolas e que os pais trabalhassem de casa. Desse modo, com todos no mesmo ambiente e as crianças com os pais em tempo integral, acabou sendo um desafio para eles controlarem a adrenalina dos pequenos e, ao mesmo tempo, praticarem o que as escolas faziam. Diante disso, o professor do curso de Pedagogia presencial da Universidade de Araraquara – Uniara, João Guilherme de Carvalho Gattás Tannuri, dá algumas dicas e sugestões de atividades educativas e lúdicas para os papais desenvolverem com a criançada.

De acordo com ele, “é necessário ter em mente que as crianças exigem atenções específicas e, para isso, lugares específicos também, assim como acontece na escola”. “Nesse momento de quarentena, é preciso que a família separe em casa um espaço para o brincar, ainda que esse espaço no dia a dia não seja comumente usado para isso. Faça demarcações no chão com fita crepe ou giz de cera, limitando o espaço a ser utilizado”, orienta.

Tannuri afirma que as crianças menores adoram atividades com brinquedos de montar e desmontar, encaixar, apertar botões etc. “Explore todas as opções que esses brinquedos oferecem, faça com que as crianças reproduzam os diferentes sons que saem dos objetos, estimule ao máximo o potencial da experiência do brincar. Caso a família não tenha esse tipo de brinquedo, forre o chão com cartolina e desenvolva a ludicidade das crianças pintando, desenhando, deixando a imaginação fluir naquele espaço destinado à atividade. Quando utilizar material de pintura para crianças pequenas, é necessário total atenção dos pais para que nenhum dos objetos seja ingerido e para que não façam das paredes de casa o interior de cavernas rupestres”, adverte ele.

As crianças, tanto as pequenas quanto as já alfabetizadas e maiores, aceitam e gostam bastante de brincadeiras teatrais, comenta o professor. “Faça interpretações de grandes clássicos da literatura infantil, explore a imaginação pedindo um desenho dos personagens principais após a leitura de uma fábula. Peça, por exemplo, para que mudem o final da história e atribuam a cada uma das pessoas de casa um personagem. É necessário que os pais ou quem cuide e conviva com as crianças entre no mundo infantil, dando asas à imaginação e ao faz-de-contas. A construção de cenários para a realização dos teatros infantis é um ótimo exemplo para prender atenção durante um longo período. Caixas de sapato, tinta guache, lápis de cor e retalhos de tecido oferecem o básico para que as histórias sejam encenadas de forma muito mais lúdica”, sugere.

Segundo o docente, as crianças têm muita energia e as atividades físicas contribuem para fazer com que a monotonia e o estresse do confinamento não atinjam a todos. “Faça circuitos de pequenas corridas, intercale com passagem embaixo das pernas dos adultos, depois faça as crianças pularem dentro de bambolês dispostos no chão e voltarem ao início da corrida. Utilize objetos que são do convívio das crianças como bonecas e brinquedos e estimule a participação desses brinquedos na atividade. A inclusão dos brinquedos durante a atividade física oferece para os pequenos o conforto dos amigos que não mais estão juntos diariamente devido ao isolamento social”, esclarece.

Para os papais que precisam conciliar o trabalho - muitos em home office - com as atividades para as crianças, Tannuri alerta: “a atenção em casa nesse período deve ser redobrada”. “É necessária a ajuda a todos os familiares. Enquanto um trabalha, o outro oferece atividades e cuidados às crianças. Para os pais e mães que moram sozinhos com os filhos, é necessário criar pactos entre eles para que as atividades de trabalho não sejam prejudicadas. Estipule horários fixos para sua jornada e faça com que a criança entenda que aquele momento é importante. Separe atividades de escrita e leitura para prender a atenção dos pequenos ou a montagem de quebra-cabeças durante o período. Atividades que necessitam maior atenção e reflexão auxiliam para que nas horas de trabalho o ambiente fique mais calmo e tranquilo”, observa.

O professor também orienta que “o acesso dos pequenos aos aparelhos tecnológicos deve ser regrado, mas não devemos demonizar a utilização da tecnologia na infância”. “Mantenha um diálogo sincero e determine horas específicas para o contato tecnológico. Por exemplo, durante a manhã, meia hora de desenho na televisão; durante a tarde, mais uma hora no videogame e, pela noite, meia hora de acesso ao celular. A partir do estabelecimento de regras para o contato com a tecnologia, a criança aprende que sua diversão não depende exclusivamente dos meios tecnológicos, mas para isso é necessário que os pais ofereçam opções do que fazer”, opina.

Tannuri também relata as diferenças das opções de entretenimento para quem mora em casa e apartamento, que é um local menor, por exemplo. “Em casas, o quintal, o quarto de brinquedos e outros espaços podem ser usados. Para locais pequenos, é necessária a definição de um ambiente específico para isso. Pode ser a sala, a varanda, um quarto inutilizado. É importante que o espaço escolhido para as atividades infantis seja sempre o mesmo durante o período da quarentena. O momento de organizar esse espaço pode ser igualmente incluído na rotina da criança. Dessa forma, os valores de cooperação com a preparação e limpeza serão incentivados”, revela.

Em relação às histórias infantis para esse período, ele afirma que há muitas. “Na televisão e na internet, as opções são extensas, mas prefiro indicar somente as leituras para estimularem esse hábito desde a infância. Além das clássicas mundiais como João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, Branca de neve e os sete anões, O patinho feio e Os três porquinhos, temos, entre outros, ótimas referências nacionais como Menina bonita do laço de fita e História meio ao contrário, de Ana Maria Machado. Os poemas infantis compilados no livro A arca de Noé, do famoso mestre da Bossa Nova, Vinicius de Moraes, também são uma boa dica. Outro clássico brasileiro que toda criança deve conhecer é O menino maluquinho, de Ziraldo. A grande autora Ruth Rocha também oferece inúmeras histórias deliciosas e muito engraçadas - para conhecer algumas delas, indico o livro Marcelo, marmelo, martelo”, completa.

Tannuri finaliza oferecendo outras dicas de atividades para serem desenvolvidas como, por exemplo, trabalhos manuais com materiais recicláveis, recortar e colar trechos de revistas em folhas sulfite, formando frases e palavras, desenhar histórias contadas, brincadeiras com mímicas, brincadeiras/cantigas de roda e atividades físicas.

O docente ministra as disciplinas “Artes I: Cênicas”, “Artes II: Plásticas”, “Artes III: Música”, “Cultura e Sociedade” e “Fundamentos Sociológicos da Educação”. Mais informações sobre o curso de Pedagogia presencial da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br e pelo telefone 0800 55 65 88.

Últimas notícias:

Busca

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /