mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Notícias

Mantendo o home office mais produtivo

Publicado em: 30/03/2020

O home office tornou-se uma alternativa recomendada por inúmeras empresas para tentarem minimizar possíveis prejuízos, especialmente nesse período de quarentena causado pelo Covid-19. A professora do curso de Administração da Universidade de Araraquara – Uniara, Marília Cammarosano, e o coordenador do curso a distância de Gestão de Recursos Humanos da instituição, Gustavo Marques, dão dicas para que esse tipo de trabalho seja o mais produtivo possível.

“O home office é entendido, por meio da tradução literal, como o ‘trabalho em casa’. O conceito em si é mais extenso do que o trabalho necessariamente feito em nossa residência. Como assim? Um trabalho feito em home office deve ser entendido como aquele executado fora da empresa, podendo ocorrer, por exemplo, em cafés, hotéis, aeroportos etc. Termos mais corretos em português seriam teletrabalho, trabalho à distância, trabalho remoto, trabalho portátil etc.”, explica Marília.

Ela aponta que, diante da pandemia,no entanto, “literalmente, estamos falando que o trabalho deva ser realizado em nossa residência e, portanto, para nosso contexto atual, a tradução literal é o que as organizações estão recomendando que os colaboradores façam nesse momento: trabalhem em casa”. “Muitas organizações já aplicam o trabalho remoto por conta de diversas vantagens que ele traz, como economia de recursos da organização - energia, por exemplo -, tempo, já que a pessoa não precisa se deslocar para trabalhar, e até mesmo permite que trabalhos possam ser executados a longas distâncias. Posso trabalhar aqui no Brasil e ter meu chefe alocado no Estados Unidos, por exemplo”, diz.

Entretanto, para outras organizações, o trabalho remoto pode ser uma novidade. “É fundamental, antes de tudo, dar suportes técnico e operacional para que o trabalho possa continuar. Ter um Plano de Trabalho para o período de quarentena e o estabelecimento de pequenas metas também são medidas fundamentais. Algumas videoconferências periódicas podem ocorrer para que os membros da equipe se alinhem. Apesar de não estarem no mesmo espaço físico, as tarefas continuam.Rede de informações, troca de experiências e comunicação facilitada diariamente são bases importantes para o bom andamento do trabalho. É um momento de confiar na equipe e de estabelecer um clima onde ‘estão todos no mesmo barco’ e precisam se ajudar para a máquina não parar”, avalia Marília.

Para manter o foco em casa, é fundamental, segundo a professora, estabelecer um horário de trabalho, de preferência, aquele que já era cumprido na empresa. “Busque levantar-se cedo, troque de roupa e tenha um ‘canto’ adequado de trabalho, para montar o computador, consultar documentos etc. Procure não trabalhar em posições que possam ficar desconfortáveis, como na cama ou no sofá. Isso, inclusive, pode trazer impactos físicos negativos, como dores nas costas. E quem trabalha em home office sabe que corre o risco oposto: trabalhar além do horário comercial, por exemplo, ou seja, estender o trabalho para períodos em que deveria estar descansando. Por isso, é importante estabelecer um horário para começar e finalizar”, enfatiza.

No contexto da pandemia de Covid-19, Marília lembra de cuidar da saúde com pequenas ações. “Tome sol - faça pequenos intervalos durante o dia - e busque se alimentar bem. Se possível, faça alguma atividade física, mesmo dentro de casa. Foque no trabalho e procure ver menos asmilhares de mensagens que chegam sobre a pandemia - cuidado com fake news, acesse sempre sites confiáveis e oficiais para tirar dúvidas sobre notícias e recomendações, e cuide-se”, recomenda.

Na avaliação de Marques, o home office é uma das principais contribuições, nesse período, para mostrar que é possível trabalhar em casa “e, mais ainda, mostrar às empresas que é possível deixar seus funcionários trabalharem em casa sem grandes prejuízos”.“Acho que essa alternativa não tinha ‘entrado no gosto’ das pessoas por amor, mas agora, ‘entrou’ pela dor. É uma realidade”, comenta.

Em sua visão, os gestores de recursos humanos e empresários podem considerar o home office como um ótimo programa de incentivo e de melhoria de qualidade de vida. “Funcionário gosta de trabalhar em casa, mas tem que haver um equilíbrio nessa questão, no sentido de que nem todos podem trabalhar 100% dessa maneira. Ainda assim, acho que as empresas poderiam, nesse momento, enxergar que, uma vez ou duas por semana, o trabalhador poderia fazer home office, por exemplo, para economizar deslocamento”, diz.

Ética é essencial para quem estátrabalhando em casa. “É lembrar que não está de férias, visto que é um compromisso do funcionário respeitar a carga de horário que ele teria também na empresa. A rotina que tinha antes, precisa preservar agora”, aponta Marques, que reforça a fala de Marília ao dizer que pessoas que estão trabalhando em casa precisam ter a hora de parar. “Se na empresa um funcionário sai às 18h, em casa, ele deve também desligar seu computador às 18h, pois as pessoas acabam prolongando a jornada. É preciso uma hora para refrescar a mente, tomar um banho, ver um filme, ficar com a família na hora certa. Deve procurar se ajustar a esses horários, ou não há raciocínio que se preserve em um cenário de se trabalhar quinze ou dezesseis horas por dia, como acontece muitas vezes”, ressalta.

Para quem não terá exposição como em uma videoconferência, por exemplo, apesar de muitos recomendarem usar a roupa de trabalho mesmo assim, “não acho que seja uma regra, mas uma questão de postura”. “Não estou dizendo que ficar de pijama o dia inteiro é aconselhável, mas também não seria preciso terno e gravata. Se for em uma teleconferência, é claro que convém se aprontar, caso contrário, pode trabalhar com roupa mais confortável”, sugere o coordenador.

Marques também alerta, no horário de expediente, para os “ladrões do tempo”,como ele define, “como ir lavar a louça e cuidar de afazeres domésticos, ou ficar com a televisão ligada, por exemplo”. “Tenho feito uma série devideoconferências nos últimos dias. É muito desagradável criança chorando, televisão com alto volume, cachorro latindo ou marido ou esposa perguntando coisas no meio da reunião. É preciso manter uma separação, fechar a porta do quarto e avisar a casa que não pode ser interrompido.Isso acaba sendo importante para crianças, por exemplo, para entenderem que têm seus horários”, afirma.

Também é relevante manter contato com os superiores e dar satisfação, mostrando que está disponível online, segundo o coordenador. “As pessoas vão descobrir que dá para fazer as mesmas coisas sofrendo menos. Acredito que é um dos ganhos que teremos durante esse período, no ambiente de trabalho”, finaliza.

Informações sobre os cursos da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br.



Últimas notícias:

Busca

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /