Ageuniara

Aparecimento de escorpiões em Araraquara preocupa moradores

Por: ADOLFO ALVES DE QUEIROZ NETO

04/11/2016

O aparecimento de escorpiões em Araraquara (SP) tem preocupado moradores de alguns bairros, como a Vila Xavier. A explicação para esta visita indesejada são as chuvas, combinadas com altas temperaturas, de acordo com a Vigilância em Zoonoses de Araraquara.

Na cidade existem dois tipos de escorpiões, o Bothriurus araguayae que vive em terrenos baldios, com veneno não ativo em humanos, e o Tityus serrulatus, popularmente conhecido como escorpião amarelo, que é venenoso e vive no esgoto. Esta espécie se alimenta de baratas e pode levar a vítima a óbito dependendo do peso da mesma, segundo Sebastião, agente da Secretaria de Meio Ambiente, no Controle de Vetor.

Não existe veneno para combater o escorpião amarelo. É possível, apenas, prevenir para que o animal não apareça. “A melhor precaução para o não aparecimento de escorpiões é colocar tela de arame de peneira de feijão nos ralos das residências”, alerta Sebastião.

Quando a pessoa é picada por um escorpião ou qualquer animal peçonhento (venenoso), a instrução é que a vítima vá imediatamente para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), pois só lá se encontra o soro. Sebastião conta que a maioria das picadas de escorpião é na mão ou no pé.

A orientação é que não se mate o animal, já que o soro antiescorpiônico é feito do seu próprio veneno. Deve-se colocar o animal dentro de algum pote com algodão umedecido em água e fazer uns furos na tampa para o animal respirar. Após isso deve-se ligar imediatamente para a Zoonose para que eles possam  buscar o animal, para posteriormente levar ao Instituto do Butantã em São Paulo, onde é feito o soro com o veneno do próprio animal.

A maior incidência de escorpiões em Araraquara ocorre nos bairros Yolanda Ópice, Melhado, São José, Quitandinha, Morumbi, Santa Angelina e Vila Xavier.

Os bairros em que nunca foram encontrados escorpiões amarelos são o das Roseiras até o Selmi-Dei, onde só tem  aparecido exemplares da variedade Bothriurus, que não é venenoso. 

O escorpião amarelo se reproduz por partenogênese, ou seja, sem que haja fecundação, não havendo necessidade de um casal. Assim, só existem fêmeas e todo indivíduo adulto pode parir sem a necessidade de acasalamento.

Para comunicar o aparecimento de escorpiões deve-se ligar para a Secretaria de Meio Ambiente, Controle de Vetor. O atendimento ocorre de segunda a sexta das 7h15 às 12h45. Telefone: (16) 3339-4441.

(Publicado em 4/11/2016 - 19h33)



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/