mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Pesquisadores da Unesp de Araraquara criam protetor solar natural

Por: CARLOS DE MELO RODRIGUES

26/04/2016

Pesquisadores da Faculdade de Farmácia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Araraquara (SP), estão desenvolvendo um protetor solar natural a base de canela e uva. De acordo com os pesquisadores, o protetor traz menos riscos de causar alergia do que os sintéticos.

Já há empresas interessadas no produto, que custara 40% mais barato, mas ainda não foi patenteado devido à falta de comprovação da eficácia do protetor como spray ou creme.

Canela e uva

Segundo a pesquisadora Juliana Santana Reis, existe um composto chamado  resveratrol, existente na uva, e o cinamato, na canela, que são comprovadamente compostos que absorvem os raios ultravioleta. “A partir destes compostos (resveratrol e cinamato), sintetizamos novas moléculas na tentativa de potencializar esse efeito fotoprotetor”.

Juliana destaca que o resveratrol se apresenta como um antioxidante em potencial. “Sabemos que a radiação solar aumenta a quantidade de radicais livres no nosso organismo. Estes, por sua vez, prejudicam o DNA e promovem o envelhecimento celular. Por este motivo, seria interessante termos um composto que, além de filtro solar, apresentasse a capacidade de neutralizar estes radicais livres, atuando como antioxidante.

Reações alérgicas

A associação de diferentes compostos em uma única formulação, para que haja a filtração dos raios UVA e UVB, é o maior fator de desenvolvimento de alergias. Juliana diz que o protetor que estão desenvolvendo só engloba os dois compostos citados, uva e canela, e por isso as chances de alergia são menores. “Produzimos oito filtros solares, em que a maioria apresentou a capacidade de filtrar, simultaneamente, as radiações UVA e UVB, sem a necessidade de associações a outros filtros. Este fator contribui para minimizar possíveis reações alérgicas devido à redução na quantidade de compostos que deverão ser utilizados nas formulações”.

Os oito filtros desenvolvidos tiverem eficácia comprovada como protetor solar e quatro deles apresentaram atividade superior ao ácido ascórbico (vitamina C), que é o padrão antioxidante empregado mundialmente.

Custo

Segundo os pesquisadores, o protetor custará 40% mais barato que os demais existentes no mercado, Juliana enfatiza isso e diz: “Sabemos que o segmento cosmético é altamente competitivo e, por este motivo, tentamos empregar técnicas e reagentes de baixo custo a fim de baratearmos a produção. Aliado a estes fatores, a obtenção destes produtos apresenta alto rendimento reacional, o que é muito interessante em termos de produção em larga escala. Todos estes fatores que minimizam os custos de produção, aliados à comprovada eficácia dos nossos compostos como agentes de amplo espectro (filtram UVA e UVB) e antioxidantes, simultaneamente, tornam nosso produto eficaz e barato, conferindo um diferencial à empresa que vier a produzi-lo. Assim, a empresa que o produzisse poderia lucrar em quantidade de produto vendido, que seria mais economicamente viável ao consumidor: um produto eficaz e barato sempre é atrativo aos olhos da população".

(Publicado em 2/5/2016 - 19h10)



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/