Ageuniara

Pesque-pagues estimulam a prática da pesca esportiva

Por: FAGNER PEREIRA

21/10/2009

Pescaria, um lazer para muitos, já o pesque-pague é uma modalidade que se pratica como um esporte ou hobby, sem que dela dependa a subsistência do pescador. Também se pode chamar de pesca de lazer ou pesca amadora.

São realizadas dentro de lagos, artificiais ou naturais, onde o pescador paga pela quantidade de quilos pescados durante o dia. Hoje, a maioria dos pesque-pagues foram transformados em modalidades de pesca esportiva.

Em Matão(SP), existe há oito anos o pesque-pague São Jorge que fica no Km 299 da Rodovia Washington Luiz, próximo a fazenda Josefina.Tudo começou quando João Moris e seu cunhado Dionísio Parlato, juntamente com suas esposas, tiveram a idéia de criar peixes.Depois de anos vivendo da avicultura, construíram cinco tanques.

No começo, a idéia principal era criar peixes e comercializá-los.Aos poucos, com sugestões de parentes e amigos, a idéia se modificou.Foi quando surgiu o pesque-pague São Jorge.

“Como já possuíamos tanques e o mais importante os peixes, todos em ponto de venda, decidimos abrir as portas para os pescadores, que adoraram a idéia”, afirma Parlato.

“Hoje, o pesque-pague São Jorge tornou-se um dos melhores e mais bem estruturados pesque-pagues da região, atraindo um grande público interessado em lazer e diversão”, completa Moris.

Na rodovia SP 255 que liga Araraquara a Jaú(SP)existe o pesque-pague Jacaré, que também conta com muitas opções para os praticantes da pesca. O proprietário do local Pedro Monteiro diz que o pesque-pague funciona às sextas-feiras, sábados, domingos, segundas e feriados.

“Os pescadores que vem para a prática da pesca esportiva, preferem sexta e segunda, porque aos sábados e domingos,as famílias vem com crianças e o ambiente fica muito agitado”, afirma.

Freqüentador assíduo do pesque-pague Jacaré, João Carlos do Nascimento é conhecido por todos como "Negão".Ele diz que a prática da pesca esportiva requer muitas coisas.“Tem que ter vara ideal, bóia ideal, carretilha certa senão fica difícil, não pega nada e depende também do tempo.Por exemplo, se está frio precisa deixar a linha afundar mais e vice-versa”, completa.

Laerte Pereira já foi pescar no Pantanal e comenta que o lugar que mais se aproxima da pesca de grandes peixes como os do Pantanal, são os pesque-pagues.

“Sempre que posso vou até o pesque-pague para relaxar um pouco, pegar uns peixinhos e,depois, reunir os filhos, netos e amigos para uma confraternização”, finaliza o pescador.

Além de proporcionar momentos agradáveis aos amantes da pesca esses estabelecimentos tem inovado com a construção de restaurantes com os mais deliciosos pratos da culinária caipira e servem porções de todos os tipos.

Realmente quem deseja tirar o final de semana para se distrair é só procurar o pesque-pague mais próximo, não precisa se preocupar em voltar logo, pois lá tem almoço para toda família.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/