Ageuniara

Estudantes de Rincão recolhem lixo no rio Mogi-Guaçú

Por: TÁRCIO MINTO FABRÍCIO

27/03/2007

O 4° Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Araraquara desenvolveu, na última semana, mais uma atividade de educação para o meio ambiente inserida no projeto "Beija-Flor". Em três horas, as crianças, acompanhadas por professores e policiais, recolheram mais de dez quilos de lixo, em sua maioria composto de garrafas PET.

Os 60 alunos que participaram da atividade estudam em séries do ensino fundamental da escola Cores e Formas de Rincão. No passeio foram conduzidos pelos policiais Giachini e Norimbém pelas margens do Rio Mogi-Guaçu.

O projeto Beija-Flor tem como principal objetivo sensibilizar os alunos e professores quanto à importância da conservação da biodiversidade e dos recursos naturais, e ainda, fortalecer o diálogo entre comunidade e polícia.

No início da atividade os alunos ouviram explicações sobre a importância da conservação do rio e sobre o trabalho dos policiais. Posteriormente, as crianças percorreram a trilha adjacente à margem, recolhendo lixo e distribuindo material de conscientização ambiental.

Paralelamente ao trabalho em terra, o comandante da operação, tenente Leandro, acompanhado pelo soldado Machado, seguiam a expedição à canoa pelo leito do rio, demonstrando as práticas de atuação da instituição, fiscalizando as embarcações e avaliando as condições das margens.

Apesar de nenhuma irregularidade ter sido constatada, os policiais relatam que esse foi um dia excepcional, pois na grande maioria dos patrulhamentos de rotina são freqüentes as infrações observadas.

No encerramento do passeio, o biólogo Marco Túlio Villela Gamba, especialista em educação ambiental pela USP de São Carlos, realizou, com a ajuda dos alunos, algumas análises químicas da água do rio. Essa prática despertou o interesse dos policiais por permitir uma rápida avaliação dos níveis de poluição e também uma interação junto aos demais membros da expedição.

Animado com a experiência, o tenente Leandro afirma que vai agendar uma reunião com os pesquisadores da USP para o estabelecimento de uma parceria que possibilite a utilização do kit de análises desenvolvido pela universidade, também nas demais atividades do projeto.

Sensibilização e disseminação de conceitos

As práticas de sensibilização ambiental como as desenvolvidas pelo projeto Beija-Flor, trazem bons resultados à sociedade de acordo com o tenente Leandro. Entretanto, trata-se de um processo demorado. "É um trabalho de formiguinhas, dia-a-dia fazemos um pouco".

O policial ainda afirma que com a evidência do tema nos noticiários recentes, esse tipo de prática passou a ser mais valorizada. "Quando começamos esse projeto, era bem difícil atrair a atenção das pessoas, mas com o tempo fomos alcançando o objetivo de disseminar as práticas de educação ambiental. Hoje em dia, com a recente repercussão do aquecimento global, todos estão mais interessados e o nosso trabalho se torna mais efetivo", conclui. A estudante Laís Abreu Tedde, participante do passeio, apóia a iniciativa por acreditar que a sensibilização é a única forma de reverter a degradação ambiental. "Conscientizar as pessoas é a única solução", enfatiza.

Outro aspecto importante da iniciativa diz respeito à formação de agentes disseminadores dos conceitos de conservação ambiental. O professor Fernando Schimidt, coordenador pedagógico da escola, relata que a mudança na atitude dos alunos é evidente.

Além de colocarem em prática o que aprendem, obrigam outros membros de seu círculo social a adotarem posturas menos danosas ao ambiente. “Muitos pais passaram a separar o lixo e a economizar água graças à pressão dos filhos”, explica.

O estudante Eduardo Pavoni Gamba assume esse papel e comenta que o melhor momento da expedição foi justamente o contato dos alunos com os pescadores. “Tivemos a oportunidade de conversar com os pescadores e explicar a importância de conservar a mata ciliar e de não poluir o rio. Se todos fizerem isso tenho certeza que daqui a algum tempo não encontraremos mais lixo na beira do rio”, diz.

Serviço

Mais informações sobre o projeto Beija-Flor da Polícia Ambiental podem ser obtidas pelo telefone: (16)3335 7980. Para denúncias de crimes ambientais: 0800 0555190

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/