202009190604

mostrar mensagem ]

AVISO DE PRIVACIDADE

A proteção dos seus dados pessoais é importante para nós. Adotamos as melhores técnicas para deixar esse site seguro. Estamos atualizando nossa política de privacidade e termos de uso do site. Em breve, ela estará aqui para você saber o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações.

ocultar ]

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Perder os documentos traz sérios problemas se nada for feito

Por: ALVARO TANIGUTI

16/03/2005

Perder a bolsa ou a carteira com os documentos pessoais pode trazer danos irreparáveis se o descuido não for sanado rapidamente. O mesmo vale para as vítimas de furto ou roubo. Quando isto ocorre, alguns cuidados devem ser tomados para que, no futuro, não venha a se tornar um pesadelo.

“O maior risco quando se perde os documentos, principalmente o RG, é que terceiros de má-fé façam uso indevido deles”, explica Jesus Nazaré Romão, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Araraquara (SP). Ele exemplifica que é possível abrir contas bancárias, crediários e, também, cometer crimes.

Romão deixa claro que o documento extraviado pode incriminar uma pessoa inocente, podendo ser condenada pela Justiça sem ter conhecimento do que se passa. Quando é abordada em uma operação policial, é detida. “Até conseguir explicar o que houve, ela passa pelo constrangimento de ficar presa”, afirma.

O delegado aconselha aqueles que têm os documentos extraviados ou levados por ladrões, comunicar o fato à Delegacia de Polícia mais próxima, explicando o que aconteceu. O documento de identidade (RG) será bloqueado e não terá nenhuma validade.

“É interessante também tornar público o fato, através da publicação em um órgão de imprensa. Isso exime a pessoa de qualquer responsabilidade posterior ao registro da ocorrência”, orienta o delegado.

No setor de expedição de documentos da Delegacia Seccional de Araraquara, a pessoa que precisa da 2ª via da identidade deve levar preenchido à máquina um formulário específico (adquirido em livrarias ou despachantes), recolher a taxa de R$ 19,95 (março/2005) na Caixa Econômica Federal ou Banespa Santander, apresentar duas fotos 3x4 recentes e sem data, o original e cópia da certidão de nascimento (solteiros) ou de casamento.

Existem casos de isenção do pagamento da taxa, conforme explica Marco Antônio Sgarbossa, papiloscopista policial do setor de identificação da Polícia Civil. Aqueles que foram vítimas de furto ou roubo, munidos de cópia do boletim de ocorrência, desempregados com a apresentação da carteira de trabalho e homens acima de 65 anos e mulheres acima de 60 não recolhem o valor cobrado. Em Araraquara, o documento leva 45 dias para ficar pronto. Nas agências Poupa-Tempo espalhadas pelo Estado, a expedição do RG digital (o que impede adulterações) leva 24 horas.

Marco revela que a expedição de 2ª via dos documentos obedece à seguinte estatística: os que resolvem trocar a foto antiga por outra mais recente e aposentados (que o fazem para usufruir de benefícios da terceira idade) respondem por 44% das emissões, ao passo que as perdas e extravios equivalem a 56%, a maioria de jovens e adolescentes, que buscam o serviço público para evitar problemas futuros.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/