Ageuniara

Projeto "Águas de Matão" proporciona Educação Ambiental para alunos

Por: FERNANDA RENATA DA SILVA

30/03/2016

O  projeto " Águas de Matão", criado em 2008,  foi idealizado pensando na Educação Ambiental  voltada aos recursos hídricos. É baseado em visitas monitoradas aos córregos do Município, tendo como tema central a bacia hidrográfica do Rio São Lourenço e seus inúmeros afluentes. 

Participam do projeto quase mil estudantes, sendo alunos dos 4º anos das Escolas Municipais e 5º anos das Escolas estaduais e particulares do ensino fundamental de Matão (SP). Anualmente este projeto é realizado através da parceria da Secretaria de Educação e Cultura com a Secretaria de Serviços  Municipais e Meio Ambiente da prefeitura de Matão em comemoração ao Dia Mundial da Água (22 de março). Neste ano, o projeto que teve inicio no dia 16/3 e termina no dia 13/4 e envolve a participação de aproximadamente 997 estudantes.

Segudo a diretora do Departamento de Meio Ambiente da prefeitura de Matão, Maria A. Bellintani Ourique de Carvalho, trata-se de uma prática em educação ambiental, pois trabalha a temática água, como sendo um recurso finito utilizado por todos os seres vivos e as ações antrópicas que comprometem seu uso (poluição, desmatamento, erosão, assoreamento, entre outros), bem como as boas práticas que preservam sua qualidade e quantidade. "Neste projeto observa-se a mudança comportamental dos alunos, bem como um conhecimento maior sobre os problemas existentes na bacia hidrográfica, ainda sobre a vegetação e a fauna locais”, destaca

“A Concessionária Águas de Matão é parceira na Semana da Água, desenvolvendo atividades como: realizações de palestras, teatro e visitações de estudantes na Estação de Tratamento de Esgoto de São Lourenço do Turvo visando o uso racional da água", afirma a diretora.

Para ela, a Educação Ambiental é um instrumento fundamental, podendo contribuir neste processo alterando as formas de sentir, pensar e agir sobre as questões pertinentes ao meio ambiente, sensibilizando as crianças sobre os problemas existentes em sua comunidade, criando uma consciência crítica, exercendo sua cidadania. " Neste projeto, especificamente, busca-se que os alunos adquiram hábitos e atitudes de conservação e respeito a natureza, a partir da própria realidade local”, completa.

Passeio

O passeio conta com sete paradas, passando pelos córregos principais da cidade, chama-se "Trajeto curto" e não são em todos os pontos em que se consegue ver as nascentes. O  primeiro  chama-se "córrego São Pedro" que é uma área de mata ciliar, que está sendo reflorestada (acontece plantio de árvores). O segundo córrego é chamado de "Leão" e os dois desaguam no mesmo lugar, dando inicio ao terceiro córrego chamado "Curtume". O quarto córrego é mais estreito que os outros e é chamado de "Pinheirinho" .

Entre o quarto córrego e o quinto acontece uma parada para observar o rio São Lourenço onde a monitora, que acompanha os alunos, destaca a Bacia Hidrográfica. Continuando o trajeto, encontra-se uma mina canalizada que desagua no quinto córrego "Águas de Tobias”. O sexto córrego chama-se "Espiga Vermelha",  uma parte do córrego é canalizada até desaguar no rio São Lourenço. E a última parada é no córrego "Milho Vermelho " que também é canalizado até desaguar no rio.

Estes dois últimos córregos estão sob duas vias principais da cidade, Avenida Laert Tarallo Mendes e Avenida Padre Nelson, respectivamente. Após isso, as crianças param para tomar um lanche oferecido pela prefeitura, no Parque Ecológico.

A monitora Marina Balan Junquetti, que também é estudante de Engenharia Agronômica, observa  que o projeto serve para que as crianças tenham uma visão realista sobre a questão ambiental da situação atual dos córregos municipais que estão envolvidos no trajeto. " Assim, estimulando-os para despertar interesse em fazer atividades que preservem e conservem o meio. Fazendo com que se conscientizem que pequenas coisas de dentro de casa já estão ajudando como: uso racional de água  na hora do banho, de lavar roupas, louça, quintais, calçada,  importância das árvores e da coleta seletiva (reciclagem)", observa.

"A parte que eu percebo o maior interesse dos alunos é no bairro Santa Rosa, por onde passa o córrego Águas do Tobias e encontramos também uma mina. É um local bem arborizado, arejado, fresco, e bem agradável. Conseguem ver que é um lugar limpo, sem lixo no chão e a vizinhança ajuda a manter o local como é. Observam a variedade de pássaros e árvores existentes. É um trabalho muito satisfatório, pois sinto que a maioria leva uma informação boa para si próprio e para o meio ambiente. Tanto quando formos falar sobre uso consciente da água, a importância das matas ciliares, da água e das árvores para nós de uma maneira geral", finaliza.

Participantes

" Eu achei o passeio muito interessante e engraçado. Aprendi o nome dos córregos e sobre eles, achei que a parte mais legal foi a hora que a monitora (Marina) começou a falar sobre não poder manter cachorros,cavalos e nem outros animais perto dos córregos, pois pode acabar poluindo a área. E para cuidar mais da água eu vou pegar os lixos da rua e não jogar mais no chão e tomar mais cuidado para não desperdiçá-la”, destaca a aluna da escola estadual "Guerino Vedoato", Luiza Vitoria Pereira, de 9 anos, que participa do projeto.

Outro aluno, Murilo, de 10 anos, também da escola estadual "Guerino Vedoato" afirma que a parte mais interessante foi quando viu a mina e para cuidar mais da água não vai jogar lixo de forma inadequada e quando ver alguém jogando vai avisar e explicar o porque aquilo é errado.Ele ainda observa que a parte mais interessante foi “aprender sobre as nascentes, como acontece a erosão e a importância das matas ciliares em torno dos rios.”

Publicada em 30/03/2016 às 20h08. 



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/