Ageuniara

Videogame: aliado ou adversário ?

Por: CLAUDIO ANTONIO CHELLI SILVA

16/03/2016

Desde o fim dos anos 70 e começo da década de 80, a popularidade dos jogos eletrônicos não para de aumentar a ponto de que cada vez mais jovens se envolvam cada vez mais com os videogames. Nos dias atuais, essa popularidade vem sendo muito discutida em relação ao aumento da capacidade do usuário raciocinar e de tomar decisões mais rapidamente.

De acordo com a matéria exposta pelo site Olhar Digital (http://olhardigital.uol.com.br/noticia/jogar-videogame-melhora-o-cerebro-conclui-estudo/38716) , “pesquisadores descobriram que jogar videogames pode fazer muito bem para o cérebro, pois essa medida estimula o crescimento da chamada massa cinzenta – responsável pelo controle muscular, memória, linguagem e percepção sensorial”.

O estudante Moacir Donizeti Pedroso Júnior, de Ibitinga (SP), conta que joga videogame quase todos os dias. Ele revela que conseguiu ter um aumento considerável na capacidade de pensar, raciocinar e de tomar decisões mais rapidamente. Ele afirma que jogando um pouco por dia ajuda com esse processo, mas há limites. " Por exemplo, em relação ao exagero no tempo em que você fica jogando, pois se não controlar o tempo que passa no mundo virtual, acaba se tornando um vício", observa.

Para a doutora Rosa Maria Custódio Garcia, de Ibitinga, que há 33 anos, atua como psicóloga, os videogames atuais, em relação ao benefício para o usuário, estão direcionados para a parte pedagógica e, portanto, é aplicado para quem tem déficit de aprendizado. " Já em relação ao uso exagerado, os videogames estão servindo como uma espécie de babá eletrônica para as crianças, desde pequenas, por conta dos pais que não tem tempo de ficar com os filhos e, por isso, compram diversos aparelhos eletrônicos para a criança ficar entretida e distraída", revela. 

A psicóloga recomenda para os pais não deixarem de observar o que seus filhos estão fazendo e de incluir horários específicos para o uso desses aparelhos. Ela ainda orienta que o uso de videogames deve acontecer dentro da medida certa, respeitando os horários de levantar, tomar café, de almoçar, etc.

Em resumo: o videogame ajuda sim no aumento do raciocínio e de tomar as decisões mais rapidamente, mas deverá ter limites quanto ao uso excessivo para não se tornar prejudicial para a saúde para o usuário.

Publicada em 16/03/2016 às 19h07. 

 



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/