Ageuniara

Vitimismo: o ato de se fazer de vítima

Por: MARCELO LOPES BONHOLI

18/11/2015

Vitimismo é o ato de se fazer de vítima e cada dia que passa podemos notar o quanto algumas pessoas se fazem valer dessa ferramenta para impor suas ideias e obter atenção de alguém. Para a escritora Cibele Lara, 33, é nítido a inversão de algumas lutas justas, em movimentos abusivos e que se fazem de vítimas para, de forma impositiva, cometer o mesmo mal que combatem.
"É muita filosofia furada, pouco altruísmo de verdade. O que vejo de feminista agressiva... Você não pode exigir respeito, se não respeitar o outro diferente. Não pode exigir amor, sem amar o outro diferente. Não pode exigir igualdade se subjuga o mais frágil, seja lá quem for, um gato, um cão...", desabafa.
As argumentações apresentadas pela escritora, corroboram com uma vasta gama de textos, alguns de psicólogos outros de sociólogos que, no geral, defendem as lutas por igualdade de direitos e suas reivindicações, mas qualificam o vitimismo como algo que desqualifica e desacredita a proposta desses grupos.
É comum observar em todo canto da internet frases como a do internauta Adilsom Botelho: “Vivemos em uma época tão chata que em breve seremos chamados de racistas por sorrir, por quem não tem dentes”, ironiza.
Dessa forma, fica claro que por mais justo que seja a luta, igualdade e respeito se ganham através de educação e altruísmo.

Publicada e 18/11/2015 às 21h50.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/