Ageuniara

Guarda Municipal de S. Carlos começa a usar armas em 40 dias

Por: SIDNEY ROGERIO DO PRADO

23/04/2015

Segundo o capitão Marcos Marques Ribeiro, comandante da Guarda Municipal de S. Carlos, os procedimentos administrativos necessários já estão em andamento e as armas serão usadas apenas por agentes que passarem por capacitação dada pela Policia Federal.  Ocurso, que é bem criterioso, tem duração de 100 horas, entre conteúdo teórico e prático. As aulas práticas já são ministradas por instrutores da Guarda Municipal de Campinas que são credenciados pela Policia Federal.

A iniciativa foi tomada quando o Capitão Marques assumiu o comando da Guarda a fim de reduzir a criminalidade na cidade. Os maiores índices são roubos e furtos de veículos. "A cidade registra um número elevado desses casos e com a GM armada teremos como agir de forma mais ostensiva contra a criminalidade na cidade", afirma o comandante.

A Guarda Municipal hoje atua com recursos menos letais que são pistolas de choque e gás de pimenta. A ideia é que, mesmo com armas de fogo, continue a fazer uso desses equipamentos. A Lei 13.060, de dezembro de 2014, especifica que policiais de todas as esferas só utilizem armas letais em último caso,  quando todos os recursos não letais já tenham se mostrado ineficazes.

A Guarda de S. Carlos adquiriu, no começo deste mês,  uma grande quantidade de spray  de pimenta, granadas de gás lacrimogêneo e Sparks (armas de choque) para uso diário. Os guardas municipais de São Carlos só poderão portar armas de fogo durante o período de trabalho. Para utilização em horários de folga os guardas interessados deverão solicitar, junto à Policia Federal, um porte legal de arma de fogo.

A intenção da administração, ao armar a Guarda Municipal, não é gerar preocupação aos munícipes, garante o comandante Marques. “Pretendemos oferecer uma sensação de maior segurança". 

COMO ACIONAR A GM

Para facilitar o acesso da população, a GM vai disponibilizar dois telefones específicos para solicitação de apoio, o 153 e o  0800-7710043. "Hoje as pessoas tem dificuldades ao ligar no 190 porque a viatura da PM pode demorar muito para chegar até o local porque tem poucas viaturas e nisso a GM quer ajudar. Vamos atender  essas solicitações, ajudando de maneira efetiva a população”, destaca Marques.

O plano da Guarda Municipal é usar, de inicio, os 45 revólveres de calibre 38 doados pela Guarda Municipal de Campinas que os está substituíndo por pistolas calibre 380.

Edimundo Ferreira Gomes, delegacia seccional de Policia em São Carlos, considera que os procedimentos de segurança para uso de armas letais precisam ser rigorosamente respeitados pelos guardas municipais. " A Guarda precisa de muita competência para se conduzir com cuidado e prudência. Se a instituição estiver preparada psicologicamente e legalmente, com salvo conduto da PF, acredito que poderemos contar com mais uma força de prevenção à violência em nosso município", ressalta o policial.

O comandante da 1ª Cia do 38º BPMI da Policia Militar de São Carlos, Capitão Wagner Rocha Gonçalves, menciona que a Guarda tem um bom efetivo. "São mais pessoas que estão sendo preparadas para realizar a segurança da população; de uma forma ou de outra, estão voltadas para o bem público", afirma. Mas o militar faz algumas ressalvas, citando que os guardas tem que ter treinamento para o uso da arma, estarem conscientes de que não podem beber e que "não se pode sair apontando [a arma] para qualquer pessoa".

Wagner Gonçalves lembra que o policial militar continua sendo policial mesmo nas horas de folga. "Com uma arma na cintura você precisa ser responsável por ela para não armar a criminalidade". Hoje a Policia Militar tem um grande contato com a Guarda Municipal e o comandante Wagner acredita que "será muito positivo o armamento da guarda".

Entre as competências das guardas municipais estão colaborar, de forma integrada, com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas que contribuam com a paz social, com a pacificação de conflitos que seus integrantes presenciarem, atentando para o respeito aos direitos fundamentais das pessoas; e desenvolver ações de prevenção primária à violência, isoladamente ou em conjunto com os demais órgãos da própria municipalidade, de outros municípios ou das esferas estadual e federal, conforme prevê a Lei Federal 13.022, de agosto de 2014, lembra o comandante Marques.

(Publicado em 24/4/2015 - 20h32)

 

 

 



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/