Ageuniara

Olhar carinhoso voltado aos idosos

Por: PAOLA MORAIS ROCHA GONÇALVES

15/10/2014

É preciso olhar com mais cuidado e respeito para uma população que em 2013 chegou a 14,9 milhões no país. São os idosos, que somam 7,4% do total da população brasileira, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O envelhecimento é um processo contínuo, comum a todos. Cada indivíduo envelhece de uma forma, em virtude a fatores ambientais, biológicos, econômicos, culturais, e sociais. A diversidade entre os idosos se dá em razão das diferenças na capacidade funcional, em relação ao território, nas relações entre familiares, no gênero e nas expectativas já vividas e expectativas em relação ao futuro.

A qualidade vida em relação aos idosos é um tema de grande importância.

De acordo com a gerontóloga, de Matão (SP), Maria Luiza Cicogna, 30, a qualidade de vida é algo subjetivo e está relacionado da forma que o idoso sempre viveu.  “Ou seja, enquanto que para um idoso viver com um salário mínimo é considerado o suficiente, para outro, que durante o seu ciclo vital esteve acostumado a uma vida tranquila, sem restrições, um salário mínimo não seria o suficiente para se viver bem e considerar que possui uma boa qualidade de vida”, explica.

Além disso, a qualidade associa-se também a presença da família e a atenção que é dada a cada um deles. Na maioria dos casos, o que acontece é o abandono ou isolamento social decorrente da fragilização, além da discriminação.

Por isso, foi criado o Estatuto do Idoso, aprovado em setembro de 2003, e sancionado pelo presidente da República no mês seguinte, ampliando os direitos dos cidadãos com idade acima de 60 anos. O Estatuto institui penas severas para quem desrespeitar ou abandonar cidadãos da terceira idade.

A gerontóloga dá algumas dicas aos familiares. ’"O idoso sempre teve uma rotina, então não tire isso dele, assim você diminui a qualidade de vida dele, tente deixá-lo ocupado, se sentir útil. Mesmo sendo dependente, deixe-o fazer algo, pelo menos auxiliar, mantenha o idoso ativo, ao invés de nós irmos sozinho, chame-o para ir junto.”

A aposentada Leila Morais Lima, 75, diz que é bem ativa.  "Continuo a ter muita disposição. Faço duas vezes na semana aulas de pintura em tela, é um passatempo gostoso. Não gosto de ficar parada, limpo a casa, cuido do jardim, e ainda faço comidas gostosas“, relata.

A psicóloga Silvia Nunes de Brito explica que os idosos são de responsabilidade da família. "A família vem assumindo um papel importante e inovador. A Constituição apresenta a família como base da sociedade e coloca como dever da família e sociedade e do Estado amparar pessoas idosas, garantindo o direito a vida. “

A psicóloga ainda ressalta que é preciso ter muita paciência, cuidado, pois é um período de adaptação de ambas as partes. "Tem que respeitar as limitações, procurando dar auxilio máximo",completa.

A velhice, embora seja uma conquista, proporciona ao mesmo tempo o desafio de descobrir como pode ser desfrutada. Diante do aumento da população idosa brasileira, torna-se cada vez mais clara a importância de buscar alternativas para permitir um envelhecimento o mais saudável e bem sucedido possível.

Os exercícios físicos são de muita importância aos idosos. Além de atuarem na prevenção de problemas cardíacos, as atividades físicas contribuem para a melhoria da capacidade funcional dos idosos. Os exercícios ajudam os idosos a manter a capacidade de lidar com as tarefas do cotidiano como varrer a casa ou descer e subir escadas.

No último dia 1 de Outubro comemorou-se o "Dia do Idoso e em Matão acontecem programações voltadas aos idosos, algumas delas são:

16/10 -  Confraternização.

18/10 - A sexta edição do "Carinho não tem idade", com muitas atividades.

19/10  - Os idosos irão para Brotas (SP), conhecer os pontos turísticos da cidade.

(Publicado em 15/10 - 20h04).

 



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/