Ageuniara

Brinquedos educativos estimulam o desenvolvimento das crianças

Por: MICHELLE FRANZINI ZANIN

28/05/2014

A tecnologia vem mudando a maneira que vivemos, passamos a maior parte do tempo na companhia de nossos aparelhos eletrônicos.Um dado alarmante é o uso desses utensílios por crianças. Tornou-se comum vermos crianças que estão na primeira infância utilizando um aparelho celular como brinquedo, os gráficos bem elaborados e a interação de luzes e sons acabam chamando a atenção dos pequenos que se desenvolvem rapidamente.

Preocupados com a exposição excessiva a esses aparatos tecnológicos, muitos pais e professores vem utilizando os brinquedos educativos como alternativa. Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (ABRINQ), o setor dos brinquedos alternativos vem crescendo relativamente, estima-se que neste ano movimente o equivalente a R$ 6 bilhões.

A maioria dos brinquedos pedagógicos são confeccionados por artesões, remetem ao começo do século XX, onde a produção era rústica, muitos dos brinquedos eram feitos de matérias considerados hoje recicláveis.“Produtos artesanais não são avaliados, portanto precisa ser comunicado ao consumidor que se trata de um brinquedo feito por um artesão e que merece atenção no que diz respeito à tinta que em alguns casos pode ser tóxica”, esclarece à empresária Lais Regina Moura, proprietária de uma loja de brinquedos de Araraquara(SP).

Segundo a professora M.A.Silva, os brinquedos ditos como pedagógicos apuram a coordenação motora, desenvolvem o raciocínio lógico e o lado psicológico da criança que está em formação. Ela os considera de suma importância na formação da criança e faz uma integração entre matéria e brinquedos educativos em suas aulas. “Através do uso desses brinquedos a criança passa a aprender de uma forma lúdica, logo é possível ensinar matemática de uma maneira menos maçante, a sala de aula torna-se uma extensão do lar da criança, que muitas vezes se sente insegura. O aprender acaba ocorrendo de uma maneira imperceptível e subliminar", declara a professora.

Entretanto, ainda há poucas lojas especializadas nesse segmento, muitas vezes os pais têm dificuldade em adquirir os produtos educativos.“Decidi abrir a loja por causa de minha filha Angelina, quando eu saía à procura de produtos diferenciados quase não os encontrava. Então, notei que haviam poucas oportunidades de materiais desse segmento na área infantil como brinquedos, jogos e livros. Percebi que a cidade precisava de um investimento que suprisse esta carência”, salienta Lais. Normalmente, são pais jovens que compram esses brinquedos para seus filhos. Eles se preocupam com o aprendizado que o brinquedo pode oferecer a seus filhos e levam em conta a idade da criança na hora de decidir qual produto levar para casa.“Considero os brinquedos pedagógicos muito importantes. O Victor têm oito meses, na idade dele o que mais chama a atenção são os brinquedos com sons”, diz Juliana Jaciani, mãe do Victor de oito meses de idade.

A loja de Laís oferece brinquedos e jogos que estimulam o raciocínio e a criatividade de crianças e adultos. São também produtos inteligentes, que ao mesmo tempo que educam, divertem. A loja oferece brinquedos de madeira, de encaixar, de empurrar, kits de pintura, quebra- cabeças, trabalhos manuais, kits de ciência verde, robótica, grande variedade de livros, jogos de desafio, colecionáveis e os tradicionais como: peteca, bola de gude, pião, pula-corda, pula-elástico, lata-fone, cinco-marias etc.

Como diferencial há brinquedos que funcionam com energia solar e outros que necessitam de uma latinha de refrigerante para concluir o projeto passando a mensagem de consciência ambiental e utilização de produtos recicláveis.

As madeiras utilizadas na produção dos brinquedos são de reflorestamento e, em alguns casos, de demolição. As tintas e massinhas de modelar são atóxicas e todos os brinquedos indicam faixa etária adequada para cada criança. Os que mais saem são as casinhas de boneca, quebra-cabeças 3D e brinquedos importados.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/