Ageuniara

Motoristas encontram dificuldade na hora de estacionar no centro de Jaú

Por: TAMIRES FERNANDA BAPTISTA FRASSON

17/08/2012

Estacionar no centro da cidade de Jaú se tornou uma árdua tarefa. A dificuldade é consequencia de vários problemas, como a falta de fiscalização e a série de incentivos fiscais concedidos na compra de automóveis e motocicletas, que fez disparar a venda de veículos. O desenvolvimento urbano não andou no mesmo ritmo que o estímulo à economia.

Após a determinação do Ministério Público do Trabalho de retirar os fiscais mirins das ruas centrais da cidade, motoristas e comerciantes se sentem prejudicados com a mudança. Os guardas mirins controlavam a rotatividade dos veículos na Área Azul, vendendo os tíquetes e fiscalizando o tempo de permanência dos veículos estacionados.

A decisão do Ministério do Trabalho defende a ideia de que vender tíquetes de estacionamento não é uma atividade educativa para os adolescentes e submete os jovens a situações de constrangimento.

Com a falta de funcionários para atuar na fiscalização da rotatividade da Área Azul, os motoristas que deixam de usar cartões ou permanecem estacionados nas vagas além do horário não estão sendo autuados. A falta de fiscalização está gerando transtornos e preocupações para os comerciantes da região central da cidade. Quando a rotatividade era fiscalizada, mais pessoas frequentavam as lojas e, consequentemente, faziam compras.

Segundo a secretária de Transporte e Trânsito, Sílvia Regina Melges Gobi, a atitude de não fiscalizar foi tomada porque há poucos funcionários para trabalhar no local e dar atendimento à população. “A fiscalização será retomada depois que uma empresa particular for contratada para realizar o serviço. As mil vagas de estacionamento rotativo da área central passarão a ser controladas eletronicamente por parquímetros e geridas pela empresa que ganhar a licitação. Acho que não adianta autuar os motoristas agora, porque não temos como oferecer estrutura”, explica Sílvia.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jaú (Sincomércio), José Roberto Pena, comenta que a Área Azul sem fiscalização é bastante prejudicial para o comércio. Ele ressalta que, em todas as cidades, a rotatividade do estacionamento é respeitada para garantir maior movimentação na área central. “Sabemos que estamos em fase de transição para a instalação dos parquímetros, mas acredito que não poderia haver descuido durante este tempo. Eu acho que depois será muito bom para o comércio, pois já vi parquímetros serem instalados em outras cidades e funcionarem muito bem”, conclui Pena.

Para alguns motoristas ir ao centro da cidade é a última opção. A auxiliar de escritório Luciene Rizatto diz que tenta “fugir” ao máximo, mas que às vezes o transtorno é inevitável. “Deixo tudo para fazer num dia só, sacar dinheiro, pagar as contas, comprar alguma coisa de necessidade. Está cada dia mais impossível estacionar, sem contar o trânsito que gera a falta de vagas. Vamos esperar para que haja uma solução, pois a atual situação está complicada demais”, reclama Luciene.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/