mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Jaboticabal tem queda de 35,6% na mortalidade infantil

Por: GIANFRANCESCO ROCHA BARIANI

16/09/2011

A mortalidade infantil caiu 35,6% na cidade de Jaboticabal, em 2010. Os dados foram divulgados no final de agosto pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), órgão ligado ao governo estadual. Apesar da queda na cidade, a microrregião de Jaboticabal apresentou um aumento na taxa.

Segundo o Seade, em 2009, Jaboticabal tinha um índice de mortalidade infantil de 12,9 óbitos a cada mil nascidos vivos. No ano passado o número caiu para 8,3 óbitos. Os dados incluem bebês com até 11 meses e 29 dias de idade.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Jaboticabal, Maura Guedes Barreto, um dos fatores da melhora está ligado ao exame pré-natal bem feito. “A assistência dos exames está muito articulada. A gestante recebe atendimento todo mês, e caso ela não compareça na data do agendamento, fazemos um trabalho de busca desta gestante, através dos agentes comunitários da saúde ou das visitadoras domiciliares”, explicou Barreto.

Outros fatores são as campanhas de vacinação, que são disponibilizadas anualmente, e o aleitamento materno. “Nascendo o bebê, ele já sai da maternidade imunizado contra hepatite B. A vacina é aplicada nas primeiras 12 horas após o nascimento, e já é encaminhado para fazer os outros testes. A mãe também recebe a orientação sobre a amamentação do bebê”, disse a coordenadora.

Em Jaboticabal, foram registrados 841 nascimentos contra 7 óbitos. A taxa da cidade acompanha o declínio da taxa no Estado de São Paulo, que mais uma vez diminuiu. A taxa do estado abaixou em 5%, com 11,9 óbitos para cada mil nascidos vivos. Em 2009, a média foi de 12,5 por mil, segundo os dados fornecidos pelo Seade.

Em relação aos fatores ligados ao óbito, Maura explicou que muitas mulheres jovens estão engravidando, o que pode ser um fator que contribui para o aumento das mortes infantis. “Temos muita gravidez na adolescência, mesmo com todas as ações educativas e fornecimento de preservativos”, afirma Maura Barreto.

A pediatra Maria Rejane Valério Navarro explica que a gestante não deve se automedicar nos primeiros três meses de gestação. “Até mesmo remédios para gripe podem ser prejudiciais à saúde do bebê. A mãe só deve usar medicamentos com autorização de um obstetra”, ensina a médica.

Dos 27 municípios que fazem parte do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Ribeirão Preto, a cidade de Jaboticabal foi a 9ª com menor taxa de óbitos infantis. A cidade com menor taxa foi Monte Alto com 3,8. Ribeirão Preto ficou em 11° com 10,1 óbitos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) classifica a taxa de mortalidade infantil como um dos principais indicadores de saúde pública. De acordo com a OMS, o índice considerado aceitável é de até dez mortes para cada mil nascidos vivos.

REGIÃO

As cidades de Guariba, Pitangueiras e Monte Alto apresentaram aumento no índice de mortalidade infantil, no ano de 2010.

Apesar de ser a cidade com menor taxa no DRS de Ribeirão Preto, a cidade de Monte Alto apresentou um aumento de 90%. Segundo o Seade, em 2009, foram 499 nascimentos e apenas um óbito, enquanto no ano passado foram 528 nascidos vivos e dois óbitos.

Já em Pitangueiras, o aumento foi ainda maior. A taxa registrou aumento de 132,7% em comparação a 2009. Foram de 5,5 óbitos para 12,8. Em 2010, nasceram 549 e morreram sete.

Em Guariba, o aumento foi de 46,2% no ano passado, em comparação a 2009. O índice subiu de 5,2 para 7,6. Foram registrados 529 nascidos vivos e 4 óbitos.

Segundo a Secretária da Saúde de Guariba, Elizabeth Helena Correa Leite, o aumento ocorreu devido ao município receber gestantes de outros municípios, no caso Pradópolis e Dumont, pelo SUS (Sistema Único de Saúde). “Realizamos pelo SUS todos os partos de Pradópolis e Dumont. Com isso, intensificamos os trabalhos de prevenção, promovemos o aleitamento materno e melhoramos a qualidade da assistência ao Pré-Natal. Tudo isso para conseguirmos atender a população de Guariba e das outras cidades”, disse a secretária.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/