mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Culto a beleza traz riscos à saúde

Por: ELAISE DA COSTA SILVA

26/10/2010

Cada vez mais a ato de enfatizar a beleza e de cultuar o corpo perfeito ganha espaço e importância na vida de milhares de pessoas. Na mídia geral, vitrines, passarelas, o momento pede jovens cada vez mais mulheres magras, esqueléticas para alguns, o corpo que toda mulher deveria ter.

O que muitos não têm conhecimento, por motivos de não ser dado um valor maior, são os transtornos alimentares que acontecem ao longo dessas tentativas de conseguir a forma ideal como,por exemplo, a bulimia e a anorexia.

Bulimia e Anorexia são transtornos alimentares que podem levar à morte. As causas dessas doenças são inúmeros motivos, desde bullying até uma das principais e piores causas: o culto do corpo perfeito.

A diferença de ambas as doenças, é que enquanto na bulimia o doente se vê desesperado em comer e depois sentindo culpa provoca o vômito por métodos como, por exemplo, com laxantes, na anorexia o doente se vê gordo a ponto de extinguir a necessidade de se alimentar.

A estudante de 19 anos, L.R.F.(preferiu o anonimato), residente em Araraquara (SP) teve Anorexia e Bulimia nervosa há três anos. “Sofri com Anorexia. Tenho 1,61 de altura e 46 quilos, mas já cheguei a pesar 37. Hoje, sinto que os sintomas da doença ainda não desapareceram, sinto muito medo de engordar, de me sentir feia ou gorda”, relata a jovem.

“Durante a última crise decidi parar de uma vez por todas. Sentei na frente do espelho, me olhei profundamente nos olhos e me vi como uma pessoa de verdade, neste momento eu vi que não tinha razões para me maltratar”, finaliza a jovem que contou com a apoio de familiares e amigos.

Outra jovem, J.C.M,(preferiu o anonimato), de 21 anos,que mora em Araraquara conta um pouco de como se sentia praticante dos atos bulêmicos. “Toda vez que eu comia eu dava um jeito de vomitar, esperava a minha tia sair do quarto e ía correndo para o banheiro, disfarçava com o chuveiro, em uma semana eu perdi cinco quilos, e pude me sentir ótima", revela.

A nutricionista Aline Fonseca, de Araraquara, defende a boa alimentação e fala sobre algumas das doenças que podem ser resultados de dietas excessivas e progressivas.“As principais consequências da Anorexia e Bulimia são alterações ao nível cardiovascular, gastrointestinal, depressão, fadiga e comportamento obsessivo-compulsivo. Em casos mais graves, estes problemas alimentares conduzem mesmo à morte”, cita Aline.

“A melhor alternativa é antes de qualquer dieta, regime ou algo do tipo procurar uma nutricionista para que essa venha indicar o tratamento adequado, lembrando sempre que a maior defesa do organismo é a boa alimentação e não a extinção dela”, finaliza.

Fazendo uma breve análise baseado no livro da escritora e nutricionista Ana Beatriz Barbosa Silva, o psicólogo Marcos Sampaio Rus Barbosa, de Araraquara, afirma que “casos de Anorexia e Bulimia têm se tornado constantes na nossa sociedade e alvo de noticiários. Vivemos rodeados pelo mito da beleza. Vivemos a imposição de um padrão único de beleza que deve ser atingido por todos”, comenta Barbosa.

“Sabemos que ambas têm início do meio para o fim da adolescência,entre 14 e 18 anos de idade. Não existe um único tipo de tratamento para a Anorexia e Bulimia. Um tratamento adequado envolve uma equipe multiprofissional”, finaliza Barbosa que acredita que os pais devem ter uma atitude prerrogativa e autoritária durante o tratamento, para o bem de seus filhos.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/