202009250001

mostrar mensagem ]

AVISO DE PRIVACIDADE

A proteção dos seus dados pessoais é importante para nós. Adotamos as melhores técnicas para deixar esse site seguro. Estamos atualizando nossa política de privacidade e termos de uso do site. Em breve, ela estará aqui para você saber o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações.

ocultar ]

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Pragas urbanas causam preocupação no verão

Por: RUBENS ROMÃO CORRÊA JÚNIOR

11/11/2009

Com a chegada do verão, as chamadas "pragas" (cupins, baratas, formigas, cigarras) aumentam e as atividades dos insetos ficam mais intensas, e a baixa umidade favorece o desenvolvimento e reprodução.

O biólogo Lucas Moreira,de Araraquara(SP), afirma que com o verão e o aumento da temperatura e da umidade, cresce também a proliferação das chamadas pragas urbanas. Ratos, formigas, baratas, cupins, mosquitos e carrapatos são inofensivos em seu habitat natural, mas quando migram para as cidades, podem causar doenças graves aos seres humanos."Combater estes animais exige técnicas e cuidados simples, que ajudam a manter a qualidade de vida nas cidades",diz.

Moreira observa que no Brasil são descritas duas mil espécies de formigas, sendo 30 de área urbana. “Em ambientes naturais, elas são predadoras de artrópodes, como insetos e aracnídeos, regulando a população e evitando que se tornem pragas. Além de ajudar no controle dos artrópodes, as formigas promovem a areação do solo, ao escavar galerias subterrâneas para se locomoverem, além de incorporar matéria orgânica ao solo, tornando-o fértil. Algumas sementes de plantas só germinam devido ao hábito que algumas espécies de formigas têm de se alimentar deste material, manipulando-o. Outras plantas só crescem, florescem e frutificam devido à presença das formigas cortadeiras”, conta Moreira.

Ele explica que as formigas,nessa época, são perigosas em hospitais, pois entram em contato com bactérias muito resistentes e podem leva-lás para todo lugar, havendo assim o risco de infecção.

O aluno do segundo ano de Biologia,do Centro Universitário de Araraquara(UNIARA), Érik Luiz Palha, explica que um saquinho com cravo-da-índia é solução para afugentar as formigas do açucareiro.Quanto aos cupins, é nesta época que acontecem as revoadas.

Segundo Palha, um passeio na praia pode significar incômodo se a pessoa não tomar cuidado com o bicho do pé. Oficialmente conhecido por Tungiase, é uma das infecções cutâneas mais frequentes no verão.

Palha diz, ainda, que a presença destas pragas no ambiente urbano traz prejuízos econômicos como os danos materiais às estruturas e mobiliário de madeira causados por cupins e brocas, traz também, prejuízos à saúde da população por meio dos insetos vetores, como os mosquitos, além dos vetores mecânicos de doenças, como as baratas e as formigas.

"Devemos considerar ainda os custos do controle destas pragas, a reposição e restauração de bens móveis e imóveis, o tratamento das enfermidades causadas por insetos vetores.O controle varia muito conforme a espécie de inseto", conta.

Para os mosquitos, Palha afirma que produtos, na forma de aerossóis e repelentes, ajudam a controlar pequenos focos, no caso de poucas baratas, aerossóis e iscas são eficientes.Já para formigas, as iscas oferecem os melhores resultados e para cupins de madeira seca e brocas produtos para injeção em prateleiras e portas podem controlar pequenos focos.

Ele ressalta que, no caso de cupins subterrâneos, somente empresas especializadas possuem conhecimento, equipamentos e os melhores produtos para esta finalidade.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/