mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Químico explica diferença dos álcoois no combate ao vírus H1N1

Por: CLAUDIA ROBERTA PEREIRA

08/09/2009

O álcool tipo gel vem sendo muito utilizado no combate ao vírus da gripe H1N1. Porém, alguns estudos indicam que o álcool encontrado nos supermercados não seria eficaz, o que vem causando insegurança entre os consumidores.

A procura pelo álcool gel, estimulada pela pandemia da influenza A (H1N1) tem aumentado após informações de que esse tipo de álcool seria eficaz no combate contra o vírus. O produto sumiu das prateleiras dos supermercados de todo o país e em Araraquara não foi diferente.

A repositora Laís Sentuia trabalha em um supermercado da cidade e conta que chega a repor diariamente cinco vezes a prateleira de álcoois. “Não adianta, todo mundo leva no mínimo três vidros para casa; é uma loucura”, conta.

A tentativa de evitar a propagação do vírus utilizando esse tipo de álcool pode ser uma boa saída, porém, já se ouve falar que essa não seria a maneira mais eficaz, considerando que o produto é indicado originalmente para a limpeza domiciliar.

E isso vem causando uma grande confusão nas pessoas, como é o caso da dona de casa Angelina Prado, que diz se sentir perdida diante de tantas notícias. “Não sei em qual informação acreditar. Afinal, qual tipo de álcool deixa minha família protegida contra essa gripe?”, questiona Angelina.

Rafael Hatanaka, químico formado pela Unesp de Araraquara, mestre em Química, explica que a diferença entre os tipos de álcool e a eficácia contra o vírus varia de acordo com a porcentagem ideal de álcool encontrada na composição do produto. “O álcool chamado antisséptico varia entre 68 a 72% de álcool em sua composição química, porém a porcentagem ideal é 70%. Somente com essa composição de 70% de álcool e 30% de água seria possível eliminar o vírus da gripe”, esclarece o químico.

O álcool 70, como é chamado, vem sendo muito utilizado na área da saúde devido ao seu alto poder de desinfecção, pois é capaz de destruir (parcial e temporariamente) bactérias, o que não ocorre com outros tipos com teor superior ou inferior de álcool em sua composição, como é o caso de alguns álcoois de limpeza residencial encontrados nos supermercados.

Rafael explica as vantagens do álcool gel para os cuidados com a higiene pessoal. “A maior vantagem do álcool gel é sua lenta evaporação o que evita a necessidade de usá-lo inúmeras vezes; já o álcool líquido evapora rapidamente, por isso são necessárias várias assepsias para se manter protegido por mais tempo”, explica.

O uso excessivo do produto protege mas também pode ocasionar problemas como ressecamento da pele, já que o álcool tem a capacidade de destruir proteínas tanto das bactérias como da pele humana. Por isso, já se encontram nas farmácias alguns tipos de álcoois menos agressivos, como conta Hatanaka.

“Os componentes do álcool 70 possuem grau farmacológico e cosmético. São componentes puros, por isso não causam alergia, somente em casos extremos isso ocorre. Nestes casos são indicados um tipo de álcool que possui hidratantes e emolientes em sua composição”, orienta Hatanaka.

Outros meios de higienização são válidos, mas lavar as mãos frequentemente com água e sabão continua sendo o modo ideal para se proteger.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/