202009191256

mostrar mensagem ]

AVISO DE PRIVACIDADE

A proteção dos seus dados pessoais é importante para nós. Adotamos as melhores técnicas para deixar esse site seguro. Estamos atualizando nossa política de privacidade e termos de uso do site. Em breve, ela estará aqui para você saber o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações.

ocultar ]

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Aterro de Araraquara chega ao seu limite e prefeitura busca alternativa privada

Por: EDUARDO SOTTO MAYOR DA SILVA

07/04/2009

O aterro sanitário de Araraquara está chegando ao limite de sua capacidade, fazendo com que a Prefeitura e seus responsáveis busque alternativas a toque de caixa. Segundo dados oficiais, o “lixão”, como é conhecido, suportará receber resíduos apenas até julho deste ano.

Para o engenheiro civil e gerente de resíduos sólidos do DAAE (Departamento Autônomo de Água e Esgoto), a situação chegou a tal ponto por várias razões, tanto naturais quanto alguns atrasos para providenciar um novo aterro, mas não por falta de planejamento.

“Desde 2002 há um projeto para viabilizar um novo aterro, mas pelo terreno onde tínhamos planejado passava um contorno ferroviário; então abortamos o projeto e pedimos para que o ramal fosse desviado. Agora aguardamos o aval da CETESB (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), autarquia da Secretaria do Meio Ambiente e também do DAIA (Departamento de Análise do Impacto Ambiental)”, afirma Agamenon.

Tal processo levará no mínimo seis meses, podendo demorar anos até se concluir. A solução que a prefeitura encontrou então foi a de abrir um processo de licenciamento, cujo edital está previsto para ser divulgado nas próximas duas semanas, e contratar uma empresa particular de outra cidade para cuidar dos resíduos de Araraquara, pelo menos por enquanto.

Agamenon acredita que a empresa que cuidará do caso será a “CGR” (Central de Gerenciamento de Resíduos) localizada em Guatapará e sem vínculo com a Prefeitura daquela cidade, por ser a mais próxima de Araraquara.

Os valores do futuro contrato e seu tempo de duração por enquanto correm em sigilo. Segundo a gerente comercial da empresa CGR, Estela Garcia, há dois anos o aterro privado em questão cuida dos resíduos sólidos de várias cidades da região, além dos próprios resíduos de Guatapará, cidade que não tem mais um aterro público.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/