mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Araraquara oferece oficina literária de contos de fadas

Por: FLÁVIA SERRANO CAYRES

28/05/2008

A Oficina Cultural "Lélia Abramo", de Araraquara(SP), em parceria do curso de Pedagogia do Centro Universitário de Araraquara(UNIARA) realiza, durante três meses, a Oficina Cultural "Produção Literária a partir da Análise dos Contos de Fada".

A professora Lessandra Muniz de Carvalho graduada em Letras pela Faculdade de Ciências e Letras pela Universidade Estadual Paulista(UNESP)de Araraquara,pelo gosto de Obras Literárias infantis,teve seu projeto de Análise de Contos de Fadas concretizado na Oficina Cultural.

De acordo com a professora seu gosto pela literatura infantil, surgiu devido uma disciplina nos anos de universitária. "Interessei-me pelo tema e aprofundei o estudo na Universidade.Apesar da aparência, o estudo de contos voltado para o público infantil, não é tão simples.Neles existem, implicitamente, símbolos e características que revelam o pensamento através do comportamento e o convívio entre os seres humanos”, enfatiza.

Os contos surgiram da oralidade da época Medieval, na qual a fantasia era o único refúgio das pessoas, para poderem ser o que quisessem.

A professora explica que não é coincidência o fato da maioria dos contos terem formas fixas.O uso de "Era uma vez...", "... e viveram felizes para sempre" , "quando os bichos falavam..." entre outras expressões, facilita a compreensão e a memorização da oralidade do conto, além da rima e da repetição.

A análise foi baseada nos irmãos Grimm (Jacob e Wilhelm) que dedicaram fábulas às crianças devido sua temática mágica e nos teóricos Propp e Lüthi que estruturaram a forma literária.

Para a realização da oficina, formou-se uma seleção de contos marcantes como, por exemplo, "João Sem Sorte" que é considerado uma paródia por ser contrária à maioria dos contos “este conto,foge da estrutura habitual do conto.Nos tradicionais, o personagem principal sempre tem um objetivo e vai em busca dele, em João Sem Sorte além de toda simbologia e de provocar o riso, o personagem principal (herói) tem um ideal, mas na realidade, acontecem conflitos durante a história sem que este perceba",descreve Lessandra.

Para Cássia Maria Batista, uma das participantes da oficina, e estudante do 2º ano de Pedagogia da UNIARA, a análise foi uma grande bagagem de conhecimento para seu futuro profissional. “Através deste estudo, terei um conhecimento rico para selecionar o que mostrar para meus futuros alunos.Tenho o objetivo de incentivar muita leitura em sala de aula e estes contos certamente serão um grande conhecimento para eles”, planeja a aluna.

A Oficina literária “Produção Literária a partir da Análise dos Contos de Fada”, que tem o apoio da Associação Amigos das Oficinas Culturais do Estado de São Paulo( ASSOAC), Oficinas Culturais (OC0 do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura e do Governo de São Paulo,acontece na UNIARA toda terça-feira das 14h às 17h com previsão de duração para três meses, na sala 8-A da Unidade I que fica na Rua Carlos Gomes, 1.338.Mais informações podem ser obtidas pelo telefone(16)3324-3946.

Características dos Contos

Os Contos que provocam riso são considerados conto Facécia ou Anedota.Os elementos básicos do conto são a ação, a personagem e o estilo.O conto de fadas tem a característica de apresentar o universo humano ao leitor, por ser uma narrativa que generaliza o universo.

O conto trata apenas do que é comum para a sociedade como anseios, conflitos, libertação, fatos imaginários entre outros para que o leitor se identifique com a história e sempre apresenta ações contrastantes: se uma filha do rei é uma princesa e bonita,a outra será feia e maldosa.O bonito é relacionado com a bondade e o contrário para “o feio”.O herói da história sempre será um ser humano e seu oponente será sempre “um monstro”.

Uma das simbologias específica de “João Sem Sorte” é a utilização do número três que entre as representações está a Santíssima Trindade e o número sete que representa a criação do universo em sete dias.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/