Ageuniara

Excesso de peso dos caminhões provoca acidentes e desgaste nas rodovias

Por: JULIANA REGINA MILÃO

21/08/2007

Setenta e sete por cento dos caminhões do País viajam com excesso de carga, segundo dados do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT). Essa sobrecarga faz com que o pavimento que foi feito para ser utilizado durante dez anos, em média, dure bem menos tempo.

Isso explica, em parte, as péssimas condições de conservação de grande parte da malha brasileira, o que aumenta o risco de acidentes. Da mesma forma, a capacidade de frenagem do veículo diminui quando sobrecarregado, o que pode fazer com que, em uma descida, o motorista não consiga manter o controle.

“O excesso de peso transportado é um problema grave, que traz sérias conseqüências em diversos aspectos". Quem conta é Vlademir Barradel, gerente de tráfego da concessionária Centrovias, que administra parte da Washington Luís (SP 310), na região de São Carlos e Rio Claro.

A empresa atua com vários pontos de pesagem nos Kms 155, 209, 200 norte e na pista sul 214, 201, 155, que funcionam das 6 às 20 horas, de segunda à sexta, em pontos alternados. Segundo Vlademir, a balança somente pode operar se estiver presente um agente do DER (Departamento de Estradas de Rodagem). Sem ele a operação é apenas informativa sem pesagem e sem multas.

“Já sabendo que existe a pesagem, muitos motoristas procuram desvios”, comenta. Está em construção um ponto fixo para balança com toda estrutura necessária para que funcione 24 horas, evitando alguns casos de motoristas que esperam a balança fechar para passar com excesso de peso.

O Código de Trânsito Brasileiro diz que existe tolerância de até 5% no peso para compensar possíveis discrepâncias de calibração dos equipamentos, calibração esta que é realizada uma vez por ano pelo IPEM (Instituto de Pesos e Medidas).

Estudos feitos por João Fortini Albano, engenheiro civil, professor de Rodovias e Doutor em Transportes pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), revelam que um caminhão com 20% de excesso de peso causa 10 vezes mais danos ao pavimento que um veículo trafegando com peso previsto em lei. As administradoras de rodovias e concessionárias tem diversos registros de acidentes causados pelo excesso de peso dos caminhões, desde apenas tombamentos até com vítimas fatais. Os dados da pesquisa estão disponíveis no site da ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias).

Ficou constatado que, quando não há pesagem, são realizadas 50% mais obras de recapeamento e se gasta mais 33% com manutenção num pavimento padrão.

José R.S., motorista de caminhão há 15 anos, afirma que sempre viaja com excesso de peso pois economiza tempo e dinheiro. “Tenho que cumprir as ordens do patrão e ele diz para esperarmos a balança fechar e depois prosseguir viagem”, contou José. Com a instalação da balança fixa funcionando 24 horas vai ser mais difícil driblar a fiscalização.

PREJUÍZOS

O excesso de cargas transportado pelos caminhões, segundo o Ministério dos Transportes, provoca um prejuízo anual de R$ 1,5 bilhão ao Governo Federal.

O DER é o órgão do governo estadual responsável pela fiscalização nas rodovias do Estado. Dúvidas, reclamações, denúncias podem ser feitas pelo telefone 0800-555510 ou no site www.der.sp.gov.br

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/