202009291351

mostrar mensagem ]

AVISO DE PRIVACIDADE

A proteção dos seus dados pessoais é importante para nós. Adotamos as melhores técnicas para deixar esse site seguro. Estamos atualizando nossa política de privacidade e termos de uso do site. Em breve, ela estará aqui para você saber o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações.

ocultar ]

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Doação de órgãos pode ser implementada em São Carlos

Por: WILSON LUIZ AIELLO

27/06/2006

A Santa Casa de São Carlos nunca coletou órgãos de qualquer paciente que tenha tido morte cerebral porque não possui um convênio com a central de captação de Ribeirão Preto. Para que sejam realizadas doações de órgãos na cidade, esse convênio está em discussão.

O Ministério da Saúde indica as cidades do Estado de São Paulo que realizaram transplantes de órgãos: São Paulo, Bauru, Franca, Limeira, Campinas, São José dos Campos, Sorocaba, Rio Claro, Ribeirão Preto, Piracicaba, São José do Rio Preto, Marilia, Americana, Araras, Garça, Araraquara, Mogi das Cruzes, Presidente Prudente, Ourinhos, Jaú, Santos e Ilha Solteira.

Segundo Paulo Roberto Motta, diretor clínico da Santa Casa local, só em 2005 foram 100 mil atendimentos — o que corresponde à metade da população da cidade, embora o hospital preste serviços para outros cinco municípios vizinhos — e não possui nenhum levantamento de quantas mortes cerebrais já ocorreram sem que órgãos pudessem ser doados.

Na família de Leonice Scramim, dona de casa, doação de órgãos sempre foi um assunto debatido. Todos concordam com a importância de doar. Mas quando o marido João Roberto morreu, o desejo dele de ter os órgãos doados não pôde ser cumprido. “Nossa família ficou muito triste, pois ele tinha a vontade de doar seus órgãos para salvar vidas, mas não conseguimos fazer nada.”

O hospital que nunca fez um transplante também nunca entrou para os registros da Central de Captação de órgãos. Isso porque não tem a comissão que fica responsável por localizar os doadores.

Ivan Carlos Lecharde, médico da comissão que está sendo implantada diz que “precisamos de um credenciamento, junto à Secretária estadual de Saúde, que já está em andamento". Não há prazo para conseguir a autorização, esperada, segundo o dr. Ivan Carlos, para os próximos meses.

Desde setembro do ano passado uma portaria do Governo Federal obriga a todos os hospitais, públicos ou particulares, com mais de 80 leitos, a criar uma comissão que tem a responsabilidade de detectar potenciais doadores.

No hospital de São Carlos a primeira tentativa foi em 2001. O projeto ficou parado e foi retomado neste ano, mas a comissão ainda não funciona. Falta oficializar o grupo.

De acordo com Paulo Roberto Motta, “a questão de doação de órgãos é de consciência antes de qualquer obrigatoriedade.”

A equipe vai ser formada por neurologistas, neurocirurgiões, urologistas, terapeutas intensivos, assistentes sociais e outros especialistas. Além de detectar os possíveis doadores, a equipe também ficará responsável por conversar com as famílias dos pacientes. E se a doação for autorizada, a comissão também terá que avisar a Central de Captação que providenciará uma equipe para fazer a retirada dos órgãos.

Transplantes no país

Segundo a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, em 2005 foram realizados 15.674 transplantes no Brasil. Por órgãos transplantados, o balanço aponta:

Coração, 182; Córnea, 8.649; Esclera ocular, 250; Fígado, 948; Intestino, 1; Medula óssea, 1162; Ossos, 759; Pâncreas, 58; Pâncreas/Rim, 118; Pulmão, 45; Rim, 3.351; Válvula Cardíaca, 151.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/