Ageuniara

Orientação vocacional pode reduzir ansiedade dos pré-vestibulandos

Por: ANDRE LUIZ LOURENÇO

14/03/2006

Temperamento excitado, perda de cabelo, insônia, obesidade e até mesmo término de relacionamentos entre namorados são fatos que caracterizam a vida de 2,8 milhões de jovens que se preparam para conquistar uma das 616 mil vagas das faculdades e universidades brasileiras.

A escolha profissional tem sido uma das questões mais duvidosas e problemáticas para jovens do Ensino Médio. O aparecimento de novas carreiras e a criação de inúmeras faculdades está na base da insegurança dos vestibulandos.

Segundo o psicólogo e orientador vocacional Mário José Pinto, que atua em clínica e num colégio de Araraquara, o fenômeno do “esticar da adolescência” é um um forte motivo para que os jovens tenham dificuldade na escolha da carreira. A ausência de maturidade explica a dificuldade de muitos vestibulandos que não encontram uma resposta para a questão profissional e acabam apresentando distúrbios emocionais.

Ao analisar esta questão com alunos do segundo ano do Ensino Médio, o psicólogo pôde comprovar que, para atingir a maturidade na escolha de uma profissão, é necessário o desenvolvimento de certas atitudes e aquisição de determinados conceitos. Como exemplo cita a responsabilidade, independência, determinação, autoconhecimento e conhecimento da realidade educativa e sócio-profissional.

Aplicado em setenta alunos, o teste trouxe aspectos preocupantes em seus resultados. Mais de 50% dos estudantes apresentaram ausência de responsabilidade, independência e determinação em relação à escolha profissional. Além disso, apresentam pouco auto-conhecimento e conhecimento da realidade educacional e profissional, aspectos de extrema importância para esta etapa decisiva.

Tranqüilidade para as conquistas da vida. Este deve ser o lema do estudante e da família no momento primordial para a escolha do futuro. “Considerando que muitas universidades já oferecem para os alunos dos primeiros anos a orientação profissional, acredito ser de extrema importância que os jovens dos segundos e terceiros anos do ensino médio realizem este trabalho vocacional e profissional com o objetivo da prevenção”, destaca Mário.

O trabalho será importante ao analisar todos os aspectos que possam interferir no processo da escolha, sejam eles internos ou externos, reduzindo, portanto, as chances de o indivíduo apresentar distúrbios emocionais no momento que deverá estar 100% saudável e concentrado.

De acordo com uma pesquisa realizada pela FUVEST, fundação que organiza o vestibular da Universidade de São Paulo e de outras entidades de ensino superior, 60% dos aprovados nos vestibulares que organiza só conseguiram aprovação nos exames depois de duas, três ou quatro tentativas, mostrando, além do grau de dificuldade das provas, a necessidade de amadurecimento do jovem durante o processo para enfrentar duas ou três vezes o mesmo obstáculo.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/