202009190521

mostrar mensagem ]

AVISO DE PRIVACIDADE

A proteção dos seus dados pessoais é importante para nós. Adotamos as melhores técnicas para deixar esse site seguro. Estamos atualizando nossa política de privacidade e termos de uso do site. Em breve, ela estará aqui para você saber o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações.

ocultar ]

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Tricotilomania é considerada como distúrbio crônico

Por: MARIANA TEIXEIRA LORETO

01/12/2005

Tricotilomania é um distúrbio crônico que faz com que a vítima sinta um desejo incontrolável de arrancar seus cabelos, ou outros pêlos do corpo, resultando em regiões com grande falha ou lesões na área, provocando trauma, vergonha e acanhamento.

A TTM termo simplificado para chamar a tricotilomania, pode aparecer na idade mínima de um ano e no máximo de trinta e nove anos.

Porém a idade de maior incidência da TTM é entre onze e quinze anos. O segundo maior grupo acontece entre as idades de seis e dez anos. Em geral, é incomum a manifestação dos primeiros sintomas da TTM após os vinte e nove anos.

Os lugares mais frequentes são: couro cabeludo, sobrancelhas e cílios. Outros lugares como barba e pêlos pubianos também podem fazer parte dos locais escolhidos.

As crianças também podem exibir esse comportamento arrancando os pêlos dos seus animais de estimação.

As pessoas que sofrem de TTM, costumam brincar com os cabelos que arrancam, examinando a raiz, passando os cabelos nos seus lábios, mordendo e até mesmo comendo-os, no entanto, esse processo leva o nome de Tricotilofagia.

Essas pessoas sabem perfeitamente que esse comportamento não faz sentido algum, e por isso envergonham-se e tentam esconder a TTM.

E.L.,53 anos, tem essa doença, e preferiu não se identificar por timidez, ele conta que já passou por vários obstaculos dentro do mercado de trabalho devido a Tricotilomania.

“Comecei a me identificar com esta doença quando por um motivo ou outro a ansiedade vinha. Então, eu começava a mexer no cabelo e a hora que percebia já tinha arrancado vários fios.”

O caso de Rute de Souza é diferente, ela conta que a filha N.R. de 13 anos possui a TTM, e que não esperava uma simples brincadeira se tornar uma doença com vários danos. “Minha filha, quando via algum fio branco no meu cabelo falava que iria arrancá-lo pra me deixar mais bonita, depois de um certo tempo ela começou a tirar o dela, e ficava entrelaçando nos dedos, isso foi se tornando compulsivo,então achei melhor procurar uma ajuda profissional",relata.

A Psicóloga Roselaine Martins diz que uma das principais causas que levam as pessoas a tal pratica é o acumulo de stress, atividades sedentarias durante as quais as mãos estão livres, além disso ela acrescenta: “a TTM também ocorre em estados de relaxamento e distração, como, por exemplo, assistindo televisão ou lendo um livro”.

Ainda não se sabe qual é a causa exata da Tricotilomania e as pesquisas ainda estão sendo efetuadas com fins de descobrir mais sobre esse distúrbio.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/