Ageuniara

Cidade Aracy ganha projeto cultural

Por: JULIANA FRANCO

02/12/2005

Há cerca de dois meses, a escola de samba Acadêmicos da Aracy, desenvolve no bairro Cidade Aracy de São Carlos(SP), o projeto cultural Meninos do Aracy. Com o objetivo de incentivar jovens entre 7 e 17 anos de ambos os sexos, o projeto pede apoio de instituições públicas e privadas, para expandir o atendimento.

Considerado um bolsão de pobreza pela administração municipal, o bairro possui cerca de 25 mil habitantes, e segundo Vanderlei Bonifácio de Queiroz, presidente da escola de samba e coordenador do projeto, sofre com a falta de projetos sociais.

A idéia de criar os Meninos do Aracy surgiu com a preocupação da escola com o crescimento da criminalidade no bairro. “Hoje, vemos a situação dos nossos jovens. Não conseguem trabalho, não fazem nada durante todo o dia. Resolvemos desenvolver o projeto para ocupar o tempo livre deles”, explica Queiroz.

O projeto ocorre em uma rua do bairro, não tem sede própria e telefone. No início atendia menos de 10 crianças, e após algumas semanas, atende 30 crianças. “O resultado é positivo, pois a cada semana aparecem mais garotos. Eles estão gostando e já pegaram o ritmo das coisas. Inclusive, algumas crianças irão participar do próximo carnaval”, conta satisfeito.

O grupo pode atender até 90 crianças nas atividades de corte e costura, música com aprendizado de todos os instrumentos usados em uma escola de samba, dança e artesanato.

A mensagem que os professores e voluntários do projeto tentam passar para as crianças, é de que eles podem ter um futuro brilhante. Mas, para isso, é preciso lutar. “Tentamos mostrar o futuro que eles tem pela frente. O mais importante, é que eles não sigam o caminha das drogas e da marginalidade”, explica.

Segundo o coordenador do projeto, somente será possível amenizar o drama destes jovens, através de oportunidade de ocuparem o tempo com atividades culturais e musicais, trabalho que está sendo desenvolvido através da ação dentro da comunidade realizada pela escola de samba.

“Infelizmente o pessoal só lembra da gente em época de eleição. Somos um bairro com cerca de 25 mil habitantes e precisamos de maior apoio para suprir as necessidades dessa garotada, que está indo para a rua”, revela indignado.

Para Tânia Maria de Almeida, professora de artesanato, o projeto é importante e gratificante. “Posso passar para essas crianças o que eu sei. Acho muito interessante, pois a partir do momento que trazemos uma criança para aprender, estamos ajudando a construir um futuro melhor para ela, longe das drogas e da marginalidade”, conta satisfeita.

O coordenador acredita que se cada um fizer um pouco, a situação será revertida. “As pessoas precisam enxergar um pouco mais adiante e investir. Nós fazemos porque gostamos. Inclusive, os meninos não falham, pode chover ou fazer sol, em dia de atividades eles estão aqui, prontos”, conta.

Nesses primeiros meses de atividades, o projeto cultural Meninos do Aracy sobreviveu sozinho, sem a ajuda privada ou pública.

Os Meninos do Aracy precisam de material para artesanato, corte e costura, e alguns instrumentos. “Se conseguirmos apoio, poderemos expandir e melhorar a qualidade de nosso projeto. Precisamos de ajuda material e também de máquinas de costura, temos apenas três. Além disso, é preciso a ajuda com baqueta para a manutenção”, explica.

O custo mensal do projeto é de R$ 500,00, destinados a manutenção de instrumentos e compra de materiais.

As crianças que participam do projeto aprovam a iniciativa, e afirmam que é uma oportunidade de aprenderem e se inserirem na sociedade.

“Durante a semana eu fico em casa e não faço nada. Nos sábados e domingos, com o projeto, aprendo a tocar e é uma forma de sair e brincar. Adoro ficar aqui, para mim é um hobby”, conta W.Q.

L.S., de 12 anos, também está animado com a oportunidade. “Eu toco surdo e cavaquinho, mas tenho vontade de aprender a tocar repenique, instrumento muito difícil. Para mim, o projeto é muito importante. Estou tendo a oportunidade de aprender mais”, revela entusiasmado.

“É uma forma de ficar longe da rua. Toco repenique e acho muito legal. Antes de entrar no projeto, eu já sabia tocar, mas estou melhorando”, informa É.B.Q.

A.M., de 10 anos, toca caixa e tem vontade de aprender a tocar outros instrumentos. “Tenho vontade de tocar repenique e surdo. O projeto é muito legal, aprendemos, tocamos, cantamos, fazemos diversas coisas”, conta.

Os cursos do projeto cultural Meninos do Aracy são realizados aos sábados e domingos, das 16h às 18h. Entre as aulas oferecidas estão: Corte e costura com a professora Cleuza; Artesanato e fantasias com a professora Tânia; Alegorias e adereços com o professor Wanderley; Caixa e malacacheta com o professor Chocolate; Tamborim e agogô com o professor Marcílio; Repenique com o professor Neguinho; e Surdo com o professor Wanderley.

As pessoas interessadas em ajudar, podem entrar em contato pelo telefone (16) 9116-2293 e falar com Tânia.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/