mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Uso de formol em alisamento capilar é proibido pela Anvisa

Por: MAIKO DA CUNHA MAGALHÃES

21/05/2005

O sonho de ter cabelos lisos parece que se tornou realidade, pelo menos na promeça de alguns salões de beleza através de técnicas de alisamento capilar. Mas o que muito gente não sabe é que algumas dessas técnicas, como a escova progressiva, que usa em sua composição o formol, pode trazer riscos à saúde. Uma resolução da Anvisa proíbe a utilização do produto nas misturas utilizadas em salões devido à toxidade e ao potencial cancerígeno.

O formol é um conservante anti-microbiano que, de acordo com a resolução da Anvisa -- Agência Nacional de Vigilância Sanitária -- pode ser usado até o limite de 0,2% nos produtos destinados ao tratamento dos cabelos.

Normalmente os salões utilizam quantidades acima de 2% de formol em técnicas de alisamento. Ele age sobre os cabelos produzindo rigidez e perda da elasticidade, tornando-os mais quebradiços.

O professor da área de cosmetologia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp-Araraquara, Marcos Antonio Correa, explica que o formol na forma de vapor é uma substância volátil que causa irritação nos olhos, na boca, nariz e garganta. Em caso de pessoas alérgicas, ele pode provocar dermatite alérgica e até produzir urticária.

A Anvisa tem recebido inúmeras denúncias de casos ocorridos devido ao uso indevido de alisantes. Alerta que a exposição contínua ao formol pode desenvolver lesões nas córneas, causar queimaduras no couro cabeludo, quedas de cabelo e até choques anafiláticos (dilatação dos vasos sangüíneos, diminuição da pressão arterial e estreitamento das vias respiratórias) e, em casos mais graves, pode levar ao câncer.

“Em muitos salões de beleza a quantidade de formol utilizada nos alisamentos é muito maior do que a permitida por lei, senão os cabelos não ficariam com esse aspecto tão liso”, explica o professor. “Muitas vezes, os clientes buscam resultados melhores, com cabelos cada vez mais lisos, sem se preocupar com os danos que a técnica pode causar”, alerta o professor.

Outro perigo que vem preocupando a Anvisa é a manipulação e o uso clandestino de alisantes à base de formol. Em muitos salões de beleza, o risco do uso excessivo de formol vem prejudicando tanto os clientes como os próprios cabeleireiros, que ficam mais expostos ao produto. Entre os vários tipos de técnicas de alisamento utilizadas, a que mais preocupa é a escova progressiva, feita a base de formol.

Segundo a determinação da Anvisa, o consumidor deve ficar atento ao uso do formol e deve denunciar à Vigilância Sanitária da cidade os profissionais que insistem na aplicação do produto. O órgão sugere que os consumidores verifiquem a preparação dos produtos antes da aplicação nos cabelos.

Para mais informações sobre o assunto, acesse o site da Anvisa no endereço: www.anvisa.gov.br/cosmeticos/alisantes/escova_progressiva.htm

Os riscos do Formol

Contato com a pele: Por ser tóxico, causa irritação à pele, com vermelhidão, dor e queimaduras.

Contato com os olhos: Causa irritação, vermelhidão, dor, lacrimação e visão embaçada. E em altas concentrações causa danos irreversíveis.

Inalação: Pode causar câncer no aparelho respiratório, além de causar dor na garganta, irritação no nariz, tosse, diminuição da freqüência respiratória, irritação e sensibilização do trato respiratório. Pode ainda causar graves ferimentos nas vias respiratórias, levando ao edema pulmonar e pneumonia, tornando-se fatal em altas concentrações.

Exposição crônica: A freqüente e prolongada exposição pode causar hipersensibilidade, levando às dermatites. O contato repetido ou prolongado pode causar reação alérgica, debilitação da visão e aumento do fígado.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/