Ageuniara

Dançar proporciona longevidade

Por: PAULA CRISTINA CARDOSO BENEDICTO

14/04/2005

No Brasil o número de idosos e a expectativa de vida crescem consideravelmente. A prática de algum tipo de exercício proporciona qualidade na saúde mental e física do indivíduo, tendo como atrativo nos diferentes modos de exercício, a dança de salão, praticada por grande parte da população, por indicação médica, como um auxilio terapêutico que reintegra o idoso para a sociedade.

O médico especialista em Geriatria e Acupunturista, em Sao Carlos(SP), Dr. Edir Marcos Zucolato,explica que é importante a prática de exercícios na vida das pessoas e principalmente na faixa etária dos 60 anos, em que revitaliza a sua alta estima, trazendo o idosos de volta à sociedade.

“A prática de exercícios na terceira idade é fundamental , devido os seus benefícios, melhora na oxigenação cerebral e na circulação sangüínea, uma conseqüência para o aparelho cardiovascular e respiratório, aumentando a resistência física no atleta", explica.

Segundo o médico, ao praticar exercícios, o cérebro do indivíduo passa a liberar mais endorfina para o sistema nervoso central, fazendo a diminuição do nível de ansiedade em uma ciclagem mental que acarreta melhoras no sono, na alimentação e o indivíduo passa a ingerir mais líquido tendo maior troca hídrica e metabólica, diminuindo as doenças na velhice como as doenças nas articulações, no sistema cardiovascular, respiratório e principalmente no sistema psicológico.

"Sendo este um dos fatores mais importantes, pois é na melhora psíquica que iniciaremos a reintegração do indivíduo na sociedade. E o contato com outras pessoas faz a melhora da base emocional, proporcionando mais vontade de viver e até mesmo a melhora da libido”, ressalta o médico.

A professora de dança de salão, Elza Pimentel, 73 anos, relata que dançar faz bem. “Danço faz, pelo menos, 30 anos e acredito que a prática deste tipo de dança me trouxe mais vitalidade, alegria e sanidade. Foi através da música dançante, que conheci o meu finado marido e, desde então, sempre estivemos juntos na vida através da dança, onde aprendemos a ser amigos e ter amigos, um fazendo o outro feliz", relata.

O marido de Elza, faleceu com 78 anos devido a uma bactéria no coração e não por motivos físicos de doença. "Eu sou uma pessoa feliz, esbanjando saúde física e mental, devido à pratica de exercícios, através da dança que também me inseriu no meio social”, finaliza

.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/