Ageuniara

Florada irregular quebra safra de laranja na região

Por: EDGAR SANTA ROSA ESTEVES

30/11/2004

A florada da laranja, na região de Araraquara (SP), preocupa citricultores e técnicos do setor. O fato é creditado a inconstância climática.

A ocorrência de chuva, em julho, provocou florescimento precoce nos pomares, época em que temperaturas baixas desfavorecem a ocorrência e pegamento das flores.

Para o assessor técnico, engenheiro agrônomo Valério Tadeu Laurindo, da Forbb, ao contrário dos pomares tradicionais, nos pomares irrigados o pegamento das flores está bastante satisfatório.

"Os pomares que ainda não floresceram, agora só poderão florescer em janeiro, época em que, tradicionalmente, há grande quebra no pegamento", ensina o agrônomo.

Segundo Laurindo, é certo que as 14 milhões de toneladas da safra que hora se colhe, não serão igualadas. "Ainda é cedo para avaliar a quebra, porém ela certamente ocorrerá", diz.

O citricultor Ademar Giro, de Boa Esperança do Sul (SP), está preocupado com a florada de seu pomar. Giro possui 80 mil pés de laranja, em Boa Esperança do Sul e Nova Europa (SP).

O citricultor está colhendo, este ano, 300 mil caixas de laranja, o equivalente a 12 mil toneladas. "Se a florada ficar como está eu não colho 180 mil caixas na próxima safra", lamenta.

O florescimento está irregular dentro de um mesmo pomar. É comum observar pés alternados com flor e sem flor. "Não consigo entender porque um pé floresce e outro não", interroga Giro.

Órgãos oficiais não têm, ainda, posicionamento a respeito da situação do florescimento na citricultura. O Fundo de Defesa da Citricultura(Fundecitrus,), através de sua assessoria de imprensa, Contexto Comunicação e Marketing, informou que não se manifesta a respeito de florada.

Existem propriedades não irrigadas, onde a florada ocorre normalmente.

Hélio Granguelli, proprietário de 30 mil pés em São Carlos (SP), está contente com o florescimento de seu pomar. "Colhi a safra mais cedo, em agosto, e a flor saiu mais uniforme", diz.

Essa situação desfavorável do florescimento na citricultura, associada a dificuldade norte-americana em atingir a produção prevista, faz com que a cotação do suco de laranja suba no mercado internacional e nacional.

A fruta posta na porta da indústria, há três meses, não alcançava R$ 6,00 pela caixa com 40,8 quilos, hoje a industria paga R$ 7,50, aumento de 25%.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/