Ageuniara

Medalha em Atenas pode ajudar o futebol feminino

Por: NORMA DOS SANTOS

15/10/2004

O sucesso da equipe de futebol feminino do Extra/Fundesport de Arararaquara (SP) acontece devido à questão do patrocínio, que no interior, supera os investimentos feitos na capital.Isso tem feito com que muitas jogadoras deixem São Paulo em busca de clubes interioranos.

A falta de apoio da mídia, o desinteresse por parte dos dirigentes, que sempre caracterizou a modalidade, melhorou com a conquista da medalha de prata nas Olimpíadas de Atenas.

Com a conquista, os dirigentes e a Confederação Brasileiro de Futebol (CBF) estão dispostos a investir no futebol feminino. Alguns campeonatos já estão sendo organizados e até a televisão está disposta a transmitir os jogos.

"Para as jogadoras a falta de apoio financeiro é o pior empecilho para que o futebol feminino deslanche de vez", explicou Andreza Mastrocezare, de 22 anos, atual atacante da equipe araraquarense, que foi revelada pelo Sport Club Corinthians Paulista.

O atual time de Araraquara, conta com 22 atletas, com uma média de 17 anos, e todas as jogadoras se dedicam exclusivamente ao futebol, treinando em um único período, enquanto não tem inicio uma nova competição.

"O fato dos clubes, em sua maioria, não possuírem categorias de base, faz com que grande parte das meninas iniciem a pratica do futebol, na escola ou nas ruas com os meninos", diz Adrieli Caroline da Silva, de 17 anos, que veio de Jundiaí (SP) disputar alguns jogos e acertar seu contrato com o Extra / Fundesport.

Embora, ainda exista, o preconceito no futebol feminino, já foi muito maior. "Por mais incrível que pareça, o preconceito maior vem por parte dos garotos", afirma, Adriana da Silva,de 20 anos, volante da equipe de Araraquara.

Para o técnico do Extra Fundesport , Fernando Paulilo , a principal diferença entre o futebol masculino e feminino, é, além do condicionamento físico, os investimentos financeiros, que no masculino, trazem um retorno bem mais significativo.

O grupo que dirige, possuí jogadoras que residem em Araraquara e atletas que vieram contratadas de outras cidades. “As atletas, estão deixando a capital, em busca de um melhor salário no interior”, afirma Paulilo.

A presença de torcedores nos jogos, realizados no Estádio Municipal, "Cândido Pereira de Barros", ocorre com freqüência, já que os jogos são realizados nos finais de semana.

Segundo Cezar Roberto Barbosa, funcionário público, nos dias de jogos, tornou-se um hábito para ele e os amigos se encontrarem no estádio, para prestigiarem o futebol feminino.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/