Ageuniara

Hepatite preocupa OMS

Por: ANGELICA REGINA GONCALVES

09/09/2004

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a hepatite infecta mais que o vírus HIV, que causa a AIDS. São 170 milhões, o número de pessoas no mundo portadoras da hepatite C, o equivalente a população brasileira.

De acordo com o enfermeiro Cláudio Garcia, de Araraquara (SP) o sintoma da hepatite é a icterícia, ou seja, coloração amarelada da pele, urina escura, fezes brancas, dores na região do fígado, náuseas e vômitos, mal-estar e febre.

Ele destaca que nem sempre a pessoa infectada manifesta sintomas, pois a hepatite é considerada uma doença silenciosa.

“É uma doença assintomática, isto é, a pessoa pode estar infectada cerca de 30 anos sem que os sintomas se manifestem, ocorrendo grandes chances da doença se transformar numa cirrose ou câncer", diz o enfermeiro.

Segundo ele,o diagnóstico precoce pode ser feito através de exames de sangue específicos para detectar a doença.

A hepatite é uma doença infecciosa que leva à inflamação do fígado e pode causar a morte.As hepatites mais comuns são as virais e tóxicas.

No processo tóxico distigue-se a hepatite medicamentosa, uso exagerado ou incorreto de medicamentos, hepatite alcoólica e a hepatite decorrente de uso de drogas.Os tipos de hepatite que mais atingem a população são A, B e C.

A hepatite A é contraída através de alimentos que tenham contato com água contaminada ou pelo consumo desta água.A hepatite B é transmitida por sangue contaminado, relação sexual e transmissão vertical (de mãe para filho).

A hepatite C é a mais grave das hepatites, sendo transmitida da mesma forma que a do tipo B, porém com menor freqüência na transmissão vertical e contato sexual.

Ainda não há vacina para a hepatite do tipo C, sendo que a vacina para prevenção da hepatite do tipo A pode ser tomada a partir dos dois anos de idade e a do tipo B, logo após o nascimento.

O tratamento das hepatites virais consiste em repouso na fase inicial do aparecimento dos sintomas, uma dieta leve para evitar náuseas e abstinência total de álcool e outras drogas que possam lesar o fígado já comprometido.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/