Ageuniara

O mundo lúdico na construção de personalidade

Por: JULIANA MARÇOLA ANGELO

05/09/2017

Quem nunca teve um sonho de infância? Ou ainda, qual criança nunca sonhou em conhecer a Disney? O mundo encantado chama a atenção de todas as idades, principalmente crianças que se espelham nos personagens de desenhos animados. Mas por que o mundo fantasioso cativa tanto o imaginário de crianças e adultos? E como isso pode ajudar a transformar a vida de uma pessoa?

A psicóloga Mirela Moraes, de Araraquara (SP), comenta que "o mundo lúdico e fantasioso conversa muito com o interior da criança. Ela precisa da fantasia para poder expressar todo o seu conteúdo interno". Para entender melhor como a criança se sente, Mirela diz que é muito comum usar de brincadeiras e coisas que remetem à fantasia para poder conversar com os pequenos, já que não existe o amadurecimento e entendimento comum na fase adulta.

O mundo encantado da Disney, segundo Mirela, "é toda essa representação fantasiosa, colorida e lúdica que atrai a atenção da criança. As histórias de princesas e dos personagens, geralmente estão relacionadas à um aspecto psíquico muito intenso. É necessário analisar os filmes e as histórias para compreender o quanto se fala de uma estrutura psíquica e isso é realmente muito valioso. De algum modo, as histórias captam o que acontece com cada um de nós e isso é muito atrativo. Por esse motivo, a Disney tem esse poder tão grande sobre todos".

"A criança precisa acreditar em coisas lúdicas como o Papai Noel, coelhinho da Páscoa, príncipes, princesas, porque ela necessita desses simbólicos como algo que as represente e algo que converse com seus medos, esperanças e todos os seus aspectos que, de alguma maneira, fazem essa interlocução. Dizer à uma criança que essas coisas não acontecem é em vão, elas precisam disso. Essa ligação externa com um personagem ou, até mesmo, a Disney, é um grande passo para que a criança se entenda e vá se construindo", completa Mirela.

Muitos carregam o fascínio pela Disney até a fase adulta. Ainda segundo Mirela, "isso existe pois todos carregam os aspectos infantis e da adolescência durante toda a vida. A Disney acaba conversando com essa estrutura infantil que temos, não sendo necessariamente uma estrutura infantilizada". A psicóloga ainda explica que para algumas pessoas, já adultas, a Disney continua sendo um atrativo porque todos têm muitas fantasias e estruturas psíquicas em que o simbólico dos personagens conversam com o mundo interno das pessoas. "Na infância, muitos desenvolvem o desejo de conhecer a Disney e isso permanece até a fase adulta, justamente por essas estruturas simbólicas e fantasiosas que são tão atrativas", finaliza Mirela.

A estudante de 30 anos, Cassiana Gardini Franco, de Ibaté (SP), é uma entre os milhares de brasileiros que desejam conhecer a Disney. Após comentar sobre seus sonhos em um grupo de turismo em Orlando, Cassiana foi desafiada por uma escola de inglês à aprender o idioma em apenas um mês e, logo após, postar um vídeo em uma rede social contando sua história. Caso o vídeo atingisse a marca de 10 mil likes em 30 dias, Cassiana ganharia sua viagem à Disney com tudo pago.

Segundo ela, foi um processo longo e chegou a ter medo no começo, porém foi uma experiência maravilhosa. "Claro que há dificuldade em aprender outro idioma e em pouco tempo, mas são 7 horas por dia e com dedicação total então se torna mais fácil. Para ir à Campinas (SP) , cidade onde fica a escola de inglês, vendi meu enxoval para poder comer e pegar o ônibus que é caro lá. Uma amiga do meu pai me ofereceu um quarto na casa dela. O dinheiro que arrecadei não dava para as despesas, mas graças a Deus muita gente me ajudou mesmo sem saber disso e tudo correu perfeitamente".

Nos começo de agosto, Cassiana postou seu vídeo e, nos últimos dias, conseguiu alcançar a marca de 10 mil curtidas. "Eu ainda estou anestesiada, me parece mentira, pois é um sonho de infância e que pelas condições financeiras precárias eu não imaginava realizar agora, mesmo acreditando neles eu sabia que levaria mais um tempo até eu me estabilizar. Agora que estou começando a acreditar que deu tudo certo e só o que eu sinto é gratidão", comenta a estudante.

Superação

Quando adolescente, Cassiana conta que sofria bullying na escola e como os pais estavam passando por momentos díficeis, ela não falava sobre seu sofrimento. "Eu desenvolvi uma enxaqueca que me fazia ter vômitos constantemente. Depois de adulta, desenvolvi uma depressão que me fez engordar mais de 30 kg. Sofri perseguição e fui humilhada por redes sociais", relembra a jovem. 

Por passar muito tempo em casa, Cassiana começou a assistir os desenhos da Disney, especialmente a saga Harry Potter. "Passei a assistir mais filmes, ler mais livros e prestava atenção nas mensagens de que a magia existe, de que os sonhos se realizam se acreditarmos e fui usando disso para superar sozinha tudo que eu sofria. As mensagens na história de Harry Potter sobre amizades, amor, coragem e perseverança me ajudaram a enfrentar os medos e tristezas. A história de Walt Disney e J.K. Rowling (autora do Harry Potter) também me incentivaram muito, pois passaram por dificuldades na vida e venceram, então passei a me inspirar nisso pra continuar vencendo, finalizar minha segunda graduação e não desistir dos meus sonhos".

"Meus sonhos é como se fossem o combustível que me move, pois sempre tive uma vida muito difícil e, mesmo assim, nunca deixei de sonhar. Costumo dizer que só valoriza a luz quem já passou pela escuridão. Graças a essas dificuldades eu me empenhei mais a acreditar nos meus sonhos e correr atrás de realizá-los. Daqui por diante só quero a luz", finaliza Cassiana.

A viagem ainda não tem data marcada, por conta de visto e passaporte, porém Cassiana diz que será agendada até o final do ano.

Publicada em 05/9/2017 às 21h29.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/